Operação conjunta

Integrante do 'Novo Cangaço' é morto em troca de tiros com policiais no sul do Tocantins

Explosivos e várias armas de fogo foram encontrados com ele.

Por Redação 1.278
Comentários (0)

24/06/2022 08h30 - Atualizado há 1 mês
Assaltante que integrava quadrilha do novo cangaço foi morto em troca de tiro.

Uma ação conjunta realizada pelas Polícias Civil e Militar, na manhã desta quinta-feira (23/6), resultou na apreensão de várias armas de fogo e também de materiais explosivos que estavam com um criminoso de alta periculosidade, suspeito de integrar quadrilhas de roubo a bancos e que atuava em vários estados do Brasil, incluindo o Tocantins. 

O suspeito, Gewides Moreira dos Santos, de 49 anos, conhecido como Cocheba, teria reagido à abordagem dos policiais e houve uma troca de tiros. Ele foi atingido e encaminhado para o hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O confronto ocorreu na zona rural do município de Peixe, sul do estado.

OPERAÇÃO

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a ação policial foi deflagrada depois que as equipes da 8ª Divisão de Combate ao Crime Organizado (8ª DEIC) de Gurupi e do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) receberam informações repassadas pelo setor de inteligência da Polícia Militar de Goiás de que um homem conhecido nacionalmente por envolvimento em diversos roubos a banco nos estados da Bahia, Goiás, Pará e Tocantins, na modalidade conhecida como “novo cangaço”, estaria na zona rural de Peixe de posse de armas de fogo e outros instrumentos utilizados na referida prática criminosa.

Conforme o delegado-chefe da 8ª DEIC, Rafael Falcão, após vários dias de intensas buscas e diligências, que contaram com o apoio do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) de Gurupi, os policiais descobriram que o suspeito utilizava um rancho na zona rural de Peixe, onde se abrigava e guardava as armas de fogo.

Com a informação, os policiais intensificaram as buscas e quando o indivíduo se deslocava em um veículo VW Crossfox, foi abordado nas imediações pelas equipes da 8ª DEIC e do BOPE. 

O suspeito não teria acatado a ordem de parada e reagiu à ordem policial efetuando disparos de arma de fogo em direção aos policiais. Durante a troca de tiro, ele foi atingido e encaminhado ao Hospital de Peixe, no entanto não resistiu ao ferimento e foi a óbito. 

De posse do investigado, os policiais encontraram um fuzil calibre 7,62,  uma pistola calibre .40, vinte e seis munições calibre 7,62, doze munições calibre .40, e um explosivo do tipo emulsão encartuchada envolvida em cordel detonante.

A perícia foi acionada para a realização dos trabalhos pertinentes no local dos fatos e o material ilícito foi encaminhado para a Central de Flagrantes da Polícia Civil em Gurupi, onde foram realizadas as providências legais cabíveis.

O Comandante do BOPE, Tenente-Coronel PM Fioravan Teixeira Silveira, que encaminhou as equipes em apoio à PC, ressalta que o indivíduo era conhecido pela facilidade de organizar assaltos a bancos, no entanto, já vinha sendo monitorado pela Segurança Pública.

HISTÓRICO DE CRIMES VIOLENTOS

Em 2013, o investigado foi preso na Bahia, juntamente com outros três indivíduos, de posse de um fuzil Barret .50 e quatro fuzis calibres 7,62 e 5,56 após praticarem pelo menos cinco roubos a banco no sertão baiano. 

Posteriormente esteve envolvido em outros roubos à instituições financeiras nos estados de Goiás, Pará e Tocantins, sendo preso duas vezes em Gurupi nos anos de 2017 e 2018, por mandados de prisão decorrentes de roubos e, também em flagrante por posse ilegal de arma de fogo e uso de documento falso.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.