Tocantins

Marcelo Miranda assina decreto que declara risco de desastre ambiental em sete municípios

Por Agnaldo Araujo
Comentários (0)

06/07/2017 14h46 - Atualizado há 1 mês
O governador do Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB), assinou um Decreto de Emergência Ambiental que declara situação de risco resultante de queimadas e incêndios florestais em sete municípios tocantinenses. A assinatura ocorreu durante solenidade realizada na sala de reuniões do Palácio Araguaia, na manhã desta quinta-feira (06), em que foram apresentadas As ações desenvolvidas pelos órgãos estaduais na prevenção, combate e fiscalização contra os focos de incêndios. Conforme o Decreto, os municípios de Formoso do Araguaia, Lagoa da Confusão, Lizarda, Novo Acordo, São Felix, Pium e Ponte Alta do Tocantins serão os contemplados por estarem localizados próximos a regiões de áreas protegidas e por registrarem os maiores índices de focos de queimada no Estado. “Esses são municípios que nos preocupam e que merecem uma maior atenção no desenvolvimento das ações de combate e prevenção de queimadas”, destacou Marcelo Miranda. Força Tarefa Segundo o governador, o Estado, junto com os demais parceiros está se unindo para diminuir os índices de queimadas no Tocantins. Hoje [quinta-feria], o que nós temos aqui é uma força tarefa formada por várias instituições do governo estadual, federal e instituições parceiras. Força tarefa que irá dar resposta para a situação que estamos vivendo. Estamos empenhados em redobrar nossa atenção para esse problema”, disse. A secretária de Estado do Meio Ambiente e Recursos HídricosMeire Carreira, destacou que esse trabalho em conjunto está aliado ao uso de tecnologias. “Nós trabalhamos a temática da fiscalização e monitoramento das queimadas o ano inteiro. Desde 2015 estamos investindo em imagens de satélites de alta resolução. Temos a Plataforma de Compartilhamento de Informações, uma ferramenta que já está funcionando e que a atualização é feita por meio de análise de imagens resultantes do mapeamento via satélite de todo o território do Tocantins”, explicou. Parceiros O trabalho conjunto para a execução das ações de combate e prevenção a incêndios florestais e queimadas, conta com a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), a Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros, o Exército, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), e outros órgãos afins. Para o superintendente estadual do Ibama no TocantinsLucas Santos Costa, é muito importante essa mobilização, já que o Tocantins figura entre os estados com maiores índices de queimadas. “Precisamos realmente unir forças para mudarmos esse cenário. Só por meio dessa força tarefa, com o uso das tecnologias, que um dia vamos trabalhar um Tocantins sem queimadas. O Ibama está à disposição do Estado”, disse. Investimentos A Semarh investiu cerca de R$ 500 mil, em convênio com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), na Plataforma de Compartilhamento de Informações. As imagens capturadas possibilitam monitorar de forma efetiva e robusta não só as queimadas, mas também o desmatamento no Estado. Esse instrumento dá mais condições de atuação na fiscalização destes crimes ambientais. Outro investimento na ordem de R$ 500 mil, já licitados, é para o aparelhamento do Centro de Monitoramento Ambiental e Manejo do Fogo (Cemaf), localizado em Gurupi. Os recursos advêm de convênio com o Banco Mundial, por meio do Programa de Desenvolvimento Regional, Integrado e Sustentável (PDRIS). Eles serão utilizados na aquisição de equipamentos de Tecnologia da Informação e de instrumentos para a implantação de um laboratório; um veículo; e um drone para monitorar as queimadas e incêndios florestais. (Cláudio Paixão)

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.