Operação Protetor

Polícia descarta suspeita de que arma de traficante teria sido usada na morte de motorista de aplicativo

Os policiais apreenderam várias porções de cocaína, maconha, bem como uma arma de fogo.

Por Redação 521
Comentários (0)

20/02/2024 09h06 - Atualizado há 1 mês
Drogas e materiais apreendidos pela 2ª DENARC Araguaína

Um traficante de drogas de 27 anos foi preso nesta segunda-feira (19/2) em uma operação da 2ª Divisão de Repressão a Narcóticos de Araguaína (Denarc). Os policiais civis também apreenderam várias porções de cocaína, maconha, bem como uma arma de fogo. 

A ação faz parte da Operação Protetor, uma iniciativa do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e está inserida no Programa Nacional de Enfrentamento às Organizações Criminosas, sob a coordenação da Secretaria Nacional da Segurança Pública (SENASP). 

O delegado titular da Denarc, José Anchieta de Menezes Filho, explicou que após cerca de uma semana de investigações, a equipe descobriu que o homem estava utilizando a própria residência, localizada no Setor Costa Esmeralda, para praticar o crime de tráfico de drogas.

“Com base nas informações levantadas pelos investigadores da Polícia Civil sobre o constante movimento de pessoas entrando e saindo da residência com o objetivo de adquirir substâncias entorpecentes, nesta segunda-feira, por volta das 17h, fomos até o local, onde após buscas foram localizadas e apreendidas porções de cocaína, acondicionadas dentro de um frasco de cor branco, bem como uma porção da mesma droga em um saco ziplock, além de um tablete pequeno de maconha”, disse o delegado

No decorrer das buscas, os policiais civis também encontraram uma pistola calibre 380, com silenciador, dois carregadores, bem como mais um cano sobressalente, que também era um tipo de silenciador, uma máquina de passar cartão, supostamente para passar as vendas dos entorpecentes.

Inicialmente houve a suspeita de que a arma de fogo localizada no imóvel, em posse do indivíduo, poderia ter sido utilizada no homicídio do motorista de aplicativo Juscelino de Sousa Rosa, de 35 anos, que foi assassinado enquanto transportava três pessoas, na madrugada do dia 29 de dezembro de 2023. Entretanto, as investigações da 2ª Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) apontaram que a arma utilizada no crime era de outro calibre e que motorista não era o alvo dos criminosos, mas sim outro indivíduo que estava no veículo e que no passado pertencia a uma facção criminosa rival dos atiradores.

“A suspeita inicial se deu pelo fato de o indivíduo preso na data de hoje ser irmão do autor do homicídio que vitimou o motorista de aplicativo. Mas já foi esclarecido que na verdade a arma utilizada era de um outro calibre, inclusive os autores desse crime já estão presos preventivamente, por ação da 2ª DHPP”, esclareceu o delegado Anchieta.

Passagem por crimes

O traficante preso pela 2ª Denarc nesta segunda-feira já possui passagens pela polícia por tráfico de drogas no Estado do Maranhão, sendo que já cumpriu pena de aproximadamente sete anos pelo crime no presídio de Pedrinhas, em São Luís e, atualmente estava em liberdade condicional. 

Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, ele foi encaminhado à Unidade Penal Regional de Araguaína, onde ficará à disposição da Justiça.

“Trata-se de uma prisão de alta relevância, uma vez que retiramos mais um traficante de circulação, sendo que ele também pode estar ligado de alguma forma ao homicídio do motorista Juscelino, fato que vai ser devidamente apurado pela Polícia Civil”, pontuou o delegado Anchieta.

Juscelino Sousa foi morto por engano.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.