Operação 'Esturro'

Polícia Federal faz buscas contra invasores de terra e desmatadores em reserva legal no Tocantins

Investigação de desmatamento ilegal, tráfico de madeira e caça de animais silvestres

Por Redação 959
Comentários (0)

29/05/2024 08h34 - Atualizado há 2 semanas
Onça teria sido abatida durante prática de caça a animais silvestres.

Notícias do Tocantins - A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (29/5) a 'Operação Esturro', iniciando a etapa ostensiva de investigação que apura a prática de crimes ambientais contra a flora e a fauna na Área de Reserva Legal do Projeto de Assentamento São Judas Tadeu, localizado em Santa Rita do Tocantins.

O inquérito tem por objetivo esclarecer os fatos, circunstâncias e autoria quanto à notícia de desmatamento ilegal, tráfico de madeira retirada da referida reserva legal e caça de animais silvestres, além de comércio ilegal de armas de fogo e munições, e outros eventuais crimes correlatos. Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão expedidos pelo Juízo da 4ª Vara Federal do Tocantins.

Com esta ação, a Polícia Federal pretende aprofundar a investigação em busca de provas adicionais, armas de fogo, munições e outros instrumentos, produtos e proveitos dos possíveis crimes sob investigação. De acordo com a investigação, um nacional é suspeito de cortar as árvores na área protegida, beneficiar a madeira ilegalmente extraída e comercializá-la em cidades vizinhas.

Também há suspeitas de que essa mesma pessoa seria contratada para, com a madeira desmatada ilegalmente, construir imóveis dentro da reserva legal, fomentando a invasão de terras da União. A Área de Reserva Legal do Projeto de Assentamento é considerado bem da União, portanto, crimes cometidos no seu interior são crimes de competência da Justiça Federal.

A partir desse momento, a equipe de investigação da Polícia Federal intensificará as suas ações visando a identificar todas as pessoas envolvidas com os crimes sob investigação. Os indiciados poderão responder pelos crimes de esbulho possessório e desmatamento em terras de domínio público, matar animais silvestres e comércio ilegal de arma de fogo, entre outros, cujas penas somadas podem chegar a vinte anos de reclusão.

O nome da operação ESTURRO, faz menção ao “rugido da onça”, uma das espécies abatidas na região.

Polícia Federal investiga caça de animais silvestres.
Também está sendo investigado desmatamento ilegal em área de reserva ambiental.
Munições apreendidas durante a operação.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.