Brutalidade

Policial é acusado de agredir fisicamente advogada de 63 anos em delegacia de Paraíso do Tocantins

Por Redação AF
Comentários (0)

28/02/2016 21h38 - Atualizado há 1 semana

Uma advogada, de 63 anos de idade, disse que foi agredida fisicamente por um policial civil enquanto acompanhava um cliente na Central de Flagrantes de Paraíso do Tocantins. O fato teria acontecido na noite deste sábado (28/02) envolvendo a idosa Iara Maria Alencar, advogada mais antiga em exercício na cidade, e o agente Márcio Parrião.

A advogada, que atua na área criminal há cerca de 40 anos, contou que atendia um cliente menor de idade e que após se identificar para o agente de polícia constatou um início de tumulto envolvendo o adolescente. Naquele momento, segundo relato da advogada, ela tentou acompanhar a situação, mas foi interpelada pelo servidor público que a agrediu fisicamente e lhe empurrou duas vezes contra a parede e ainda imobilizou seu braço direito.

Diante da situação, uma mulher que estava na delegacia para registrar uma ocorrência tentou intervir na ação do agente contra a idosa, momento em que Márcio teria sacado sua arma e apontado para as mulheres, além de ter ordenado que elas se afastassem.

Após o tumulto, o fato foi comunicado à Subseção da OAB em Paraíso. O advogado Valdeni Brito acompanhou a colega advogada e foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) contra o agente.

Ainda na Delegacia, a advogada passou mal e foi encaminhada ao Hospital Regional da cidade pelo Corpo de Bombeiros. Ela só recebeu alta na manhã deste domingo (28/02), por volta das 10h30. A idosa foi submetida recentemente a um procedimento cirúrgico nos rins.

A OAB Seccional Tocantins também já designou uma comissão para acompanhar o caso e acionará a Corregedoria-Geral de Polícia Civil e Ministério Público Estadual para apurarem a conduta do agente.

Neste domingo, após obter alta, a advogada realizou exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) de Paraíso e registrou ocorrência pelo crime de lesão corporal.

"Não aceitaremos nenhum tipo de desrespeito", garante OAB

A OAB Subseção de Araguaína-TO e Associação Brasileira de Advogados Criminalista do Tocantins (ABRACRIM-TO) se solidarizaram com a advogada e se colocaram à disposição para adotar as "devidas providências e manifestações". "Não aceitaremos nenhum tipo de desrespeito às prerrogativas do advogado, principalmente violência física ou moral. O advogado é indispensável à administração da Justiça, conforme art. 133 da Constituição Federal", destacou.

A OAB classificou como "inaceitável que um servidor público, neste caso especifico um policial, tenha o comportamento de agredir a advogada ou seja lá quem for". "Não aceitaremos, nem mesmo contra os piores criminosos, por isso deve o fato ser apurado na esfera administrativa, civil e criminal", afirmou José Quezado, presidente da OAB Araguaína.

Veja mais

http://afnoticias.com.br/conselho-federal-da-oab-exige-providencias-administrativas-e-criminais-contra-policial-que-agrediu-advogada-no-tocantins/

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.