Guaraí

Três PMs são presos e indiciados por matar e ocultar cadáver de músico que estava desaparecido

Ele era músico das bandas Resfulengo e Forró Xique Moral.

Por Redação 3.906
Comentários (0)

01/12/2023 11h36 - Atualizado há 2 meses
Joan Braga dos Reis, 33 anos, não tinha nenhuma passagem pela polícia

A Polícia Civil do Tocantins informou que concluiu as investigações sobre o suposto desaparecimento de Joan Braga dos Reis, 33 anos, e indiciou três policiais militares, lotados no 7º Batalhão da PM de Guaraí, pelos crimes de homicídio doloso qualificado, ocultação de cadáver e fraude processual. Joan não possuía nenhum antecedente criminal.

Joan, que era músico das bandas Resfulengo e Forró Xique Moral, saiu do Distrito de Luzimangues (Porto Nacional), no dia 19 de abril deste ano, com destino a Centenário, para visitar a família, mas em razão de sequelas de um acidente automobilístico sofrido anteriormente, teve um surto psicológico enquanto esperava transporte em Guaraí.

Ele foi visto vagando pela cidade sem noção de seus atos, entrando em carros estacionados e abertos, sendo impedido pelos proprietários dos veículos. Até que em frente a um lava jato da cidade, Joan teria entrado novamente em outro veículo e causado pequenos danos ao tentar ligá-lo.

Segundo os familiares, Joan não tinha habilitação e sequer sabia dirigir. No local, Joan foi abordado por um policial militar aposentado, que acionou uma guarnição da PM, composta pelos três policiais indiciados.

Depois desse episódio, o músico desapareceu, passando a ser procurado por toda a família e amigos e pela Polícia Civil, por meio da 5ª Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado (DEIC - Guaraí),  após o registro da ocorrência. 

O cadáver de Joan foi localizado cinco dias após, por servidores da Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto) que trabalhavam às margens da Rodovia BR-235, na divisa entre Guaraí e Tabocão, já em estado avançado de decomposição. 

Conforme a Polícia Civl, as investigações da 5ª DEIC definiram a materialidade, autoria e circunstâncias dos delitos, apontando a ação dos militares na morte de Joan, bem como a ocultação do cadáver e em ações que visavam afastar suas responsabilidades sobre os crimes. 

Diante dos fatos, o delegado representou pela prisão preventiva dos policiais militares, a qual foi decretada e devidamente cumprida na manhã desta sexta-feira, 1º de dezembro, após os investigados se apresentarem no Comando da Polícia Militar de Guaraí. Os policiais ficarão presos em unidade policial militar, à disposição do Poder Judiciário local. 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF Notícias. Todos os direitos reservados.