‘Confidere’

Vaqueiro, amante e comparsas são alvos de operação por furto de gado em fazendas do Tocantins

Suposta amante de um vaqueiro também é investigada por participação no caso.

Por Redação 1.801
Comentários (0)

18/11/2022 07h20 - Atualizado há 1 ano
Polícia Civil durante a operação

A Polícia Civil do Tocantins realizou uma operação na manhã desta quinta-feira (17) com o objetivo de desarticular uma associação criminosa especializada em furto e venda de gado no Estado.

A operação 'Confidere' foi iniciada logo nas primeiras horas da manhã, quando várias equipes saíram às ruas das cidades de Paraíso (TO), Pium (TO), Chapada de Areia (TO) e Goiânia (GO) para cumprir mandados de busca e apreensão em endereços pertencentes a quatro pessoas supostamente envolvidas nos crimes de abigeato.

De acordo com o delegado Thyago Bustorff, as equipes passaram a investigar o caso depois que um homem que trabalhava como vaqueiro em uma fazenda de Pugmil foi identificado como sendo o responsável por subtrair várias cabeças de gado da propriedade em que trabalhava.

“Em um primeiro momento, conseguimos identificar e apreender oitos cabeças de gado que teriam sido furtadas da fazenda e fazer a prisão em flagrante de dois homens envolvidos no caso. No entanto, constatamos que o vaqueiro pode ter sido o responsável por subtrair mais 29 cabeças de gado que não foram recuperadas e que estão avaliadas em mais de R$ 116 mil”, disse o delegado.

Após minuciosas investigações, os policiais civis descobriram que também foram subtraídas 65 cabeças de gado de uma fazenda onde homem também havia trabalhado anteriormente. Os animais teriam sido vendidos a preços muito abaixo dos normalmente praticados no mercado.

Dessa maneira, o delegado representou por mandados de busca e apreensão contra quatro investigados por fazerem parte do esquema e que são suspeitos de praticarem outros golpes em fazendas da região de Paraíso e Pium.

Como funcionava o esquema

O vaqueiro investigado se empregava em fazendas da região do Vale do Araguaia e, após ganhar a confiança do proprietário do local, passava a desviar o gado, que era então vendido para terceiros.

As pessoas que adquiriam o gado do vaqueiro também são investigadas por aplicar uma série de golpes na compra de gado no Tocantins com utilização de cheques sem fundo e TED’s falsos para efetuar os pagamentos de animais adquiridos de pessoas idôneas, além de outras estratégias criminosas que resultaram em prejuízo para as vítimas.

Mulher também investigada

Ainda de acordo com o delegado Bustorff, uma mulher que seria amante do vaqueiro também é investigada pela Polícia Civil por, supostamente, ceder a própria conta bancária que era utilizada pelos golpes para guardar o dinheiro das vendas do gado roubado.

Assim, a operação deflagrada nesta quinta-feira também visava identificar outras pessoas e propriedades que também foram vítimas dos golpes para desarticular a associação criminosa especializada nos crimes de abigeato, uma vez que muitos animais eram abatidos e a carne revendida para estabelecimentos comerciais da região. 

'Confidere'

A operação foi batizada de ‘Confidere’, termo que deriva do latim e significa confiança. O delegado Thyago explicou que a operação recebeu esse nome em alusão à confiança que o vaqueiro adquiria dos donos das fazendas em que trabalhava para então começar a praticar os crimes.

Segundo a autoridade policial, a operação desta quinta-feira foi muito exitosa no sentido de reunir mais indícios probatórios da existência da associação criminosa. “Todos os elementos colhidos hoje serão juntados à investigação, que está em curso, com o objetivo de individualizar as condutas de todos os alvos para que possamos efetuar a responsabilização criminal de todos os envolvidos”, disse o delegado.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.