Família desabafa

Após família enterrar jovem sem velório, 3º teste para covid-19 dá negativo em Araguaína

O jovem teria morrido em decorrência de uma parada cardiorrespiratória.

Por Márcia Costa 7.214
Comentários (0)

14/10/2020 16h05 - Atualizado há 1 semana
Família não teve como velar o corpo do jovem

A família que questionou por diversas vezes o diagnóstico de covid-19 apresentado pelo Hospital Municipal de Campanha de Araguaína e não teve direito de velar o jovem Alziro Cardoso da Costa Júnior, 20 anos, descobriu que sua morte não foi em decorrência do novo coronavírus.

O rapaz precisou ser sepultado às pressas e sem velório por conta da suspeita de covid-19, porém, o 3º exame realizado deu resultado negativo.

A família desconfiava do diagnóstico desde o início e denunciou o caso à imprensa, já que Alziro Cardoso procurou a UPA do Setor Araguaína Sul se queixando de uma forte dor no estômago. O estado de saúde dele se agravou e o jovem precisou ser internado em um leito de UTI no Hospital de Campanha, unidade destinada exclusivamente para pacientes com covid-19.

Dois exames foram realizados, um RT-PCR (Swab), que não detectou o coronavírus, e um teste rápido, feito após a morte do jovem em decorrência de uma parada cardiorrespiratória no dia 25 de setembro. O último resultado entregue aos familiares apontava o resultado positivo para covid-19.

Com a repercussão do caso na imprensa, a direção da unidade do hospital decidiu fazer o 3º teste, cujo resultado saiu agora e foi negativo.

“Desde o início a gente tinha certeza! Questionamos várias vezes que ele não estava com Covid até porque o primeiro exame deu negativo. Eles também como profissionais deveriam ter essa certeza baseada nos exames. O estado dele era gravíssimo, mas não por conta da Covid. Depois que veio a óbito eles colocaram suspeita de covid, sendo que tinha um outro exame para sair o resultado”, disse Hellen Cardoso, irmã de Alziro.

Os familiares estão revoltados e pretendem buscar seus direitos e reparação de danos contra o hospital.

“Eles não respeitaram a situação, não respeitaram a minha dor, não respeitaram a dor da minha família. Em meio a tanta dor e sofrimento tiraram nosso direito de podermos velar, dar um enterro digno ao meu irmão. Ele foi enterrado sem roupa, apenas dentro de um saco”, desabafou.

OUTRO LADO

"O Hospital Municipal de Campanha de Araguaína informa que forneceu toda a assistência necessária durante o período de internação do paciente, seguindo, conforme regulação vigente, todos os protocolos estabelecidos. 

A unidade reitera que, no caso citado, foi adotado o protocolo de covid-19 do Ministério da Saúde e Vigilância Epidemiológica, uma vez que havia quadro clínicos e exames iniciais condizentes".

VEJA A MATÉRIA DO CASO

+ Jovem dá entrada na UPA com dor de estômago e morre por Covid-19; família se revolta

3º exame deu negativo
Resultado não detectável para o coronavírus
Teste rápido que mostrou que o vírus não estava mais no corpo do jovem

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.