Flexibilização

Com 6 meses de proibição, profissionais pedem liberação de pequenos eventos em Palmas

O setor está com as atividades suspensas desde o início da pandemia.

Por Conteúdo AF Notícias
Comentários (0)

11/09/2020 11h51 - Atualizado há 2 semanas
A manifestação aconteceu um dia após o fim do decreto que restringia o funcionamento do comércio

Profissionais que atuam no ramo de eventos realizaram uma manifestação na manhã dessa sexta-feira (11) em frente ao prédio da Prefeitura de Palmas para pedir a liberação do retorno das atividades. A realização de eventos está proibida há cerca de seis meses devido á pandemia do novo coronavírus.

A reinvindicação da categoria ganhou força após o fim do decreto que restringia o horário de funcionamento do comércio considerado não essencial, nesta quinta-feira (10).

As empresas e profissionais ligados à área de eventos pedem que a prefeitura apresente um protocolo para que as festas de pequeno porte voltem a ser realizadas com segurança.

Conforme a categoria, os prejuízos contabilizados durante os seis meses de paralisação das atividades são praticamente irreversíveis e o setor necessita de um olhar mais atento da administração para tentar se recuperar.

Uma carta aberta foi divulgada pelos organizadores da manifestação solicitando a flexibilização de eventos como casamentos, aniversários e outras comemorações com presença de pequeno público. A categoria reconhece que os grandes eventos ainda estão fora de cogitação.

"Causa estranheza e decepção ver que todos os demais setores, inclusive o de turismo, bares e restaurantes, sensibilizaram as autoridades competentes e receberam autorização para reabrirem suas portas. Não compreendemos porque a área de eventos não tem recebido a mesma atenção por parte dos governos estadual e municipal", diz um trecho da carta.

Essa manifestação foi organizada por um grupo de trabalhadores, pais e mães de família que depende dos eventos pra sobreviver, sem nenhum viés politico. Acreditamos que seria uma grande injustiça apenas os trabalhadores ligados a área dos eventos pagarem pelos efeitos da pandemia. Tendo em vista que igrejas, bares, shoppings e outros seguimentos estão liberados”, disse ao portal AF Noticias o empresário e DJ Rafael Guirolle.

Nenhum representante da categoria foi recebido na prefeitura para tratar do assunto. 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.