Fique por dentro!

Crianças ou adolescentes menores de 16 anos podem viajar sozinhos? Defensoria tira dúvidas

No que diz respeito às viagens internacionais, as regras são diferentes.

Por Redação
Comentários (0)

11/07/2024 09h55 - Atualizado há 1 semana
DPE orienta pais e cuidadores sobre regras para viagem de crianças e adolescentes

Notícias do Tocantins - O mês das férias escolares chegou e com ela a expectativa das crianças/adolescentes para fazer aquela viagem especial. Porém, antes de embarcar nessa aventura, os pais ou responsáveis precisam estar atentos quanto às regras para menores de 16 anos de idade. O alerta é do Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente da (Nudeca) da Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO).

O Nudeca destaca que, conforme o que preconiza o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) em seu artigo 83, nenhuma criança ou adolescente, com idade inferior a 16 anos, poderá viajar para fora da comarca onde reside, desacompanhado dos pais ou responsável sem expressa autorização judicial.

O documento, que pode ser emitido gratuitamente pela internet ou no Foro da Comarca onde reside a criança ou adolescente, deve ser apresentado pelos pais ou responsáveis na hora do embarque.

Além disso, o Nudeca esclarece que a autorização deverá ter a firma do pai, mãe ou responsável legal reconhecida e ser acompanhada de documento da criança/adolescente, certidão de nascimento ou carteira de identidade, bem como do termo de guarda ou tutela, se for o caso.

Exceções

A autorização deixa de ser exigida em circunstâncias específicas, como, por exemplo, se a criança ou o adolescente estiver acompanhado de um dos pais ou responsável; se residir em comarca contígua, ou seja, comarcas de regiões vizinhas; e se houver a comprovação de que está acompanhado de parente até terceiro grau, desde que o parentesco seja devidamente confirmado.

Viagens Internacionais

No que diz respeito às viagens internacionais, conforme a Resolução nº 131/2011 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), fica proibido que criança ou adolescente brasileiro deixe o país acompanhado de estrangeiro domiciliado no exterior. A exceção desses casos se aplica somente se o estrangeiro for o genitor ou se a criança ou adolescente nascido no Brasil não tiver nacionalidade brasileira.

Onde obter informações

Em caso de dúvidas, pais ou responsáveis por crianças e adolescentes podem se informar nas Varas de Infância e Juventude, nos Postos dos Juizados Especiais, aeroportos e rodoviárias interestaduais.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.