Prisão decretada

Justiça decreta prisão preventiva de ex-prefeito de Goiatins réu em vários processos por desvios de verbas

Por Redação AF
Comentários (0)

25/08/2017 14h24 - Atualizado há 1 mês
O ex-prefeito de Goiatins Olímpio Barbosa Neto teve sua prisão preventiva decretada pela Justiça nesta sexta-feira (25), em atendimento a pedido formulado pelo Ministério Público Estadual (MPE). Olímpio foi prefeito no período de 2004 a 2008. Segundo o órgão, a prisão visa resguardar uma eventual decisão que imponha o cumprimento de pena ao ex-prefeito, visto que o ex-gestor responde a várias ações cíveis e criminais mas a Justiça não conseguiu localizá-lo em diversas tentativas de citação e intimação. A prisão preventiva foi solicitada pelo Promotor de Justiça Célem Guimarães Guerra Júnior, da Comarca de Goiatins. No pedido, promotor diz que Olímpio Barbosa Neto tem informado, nos processos em que é réu, que possui endereços nas cidades de Araguaína e Carolina (MA), nos quais, contudo, ele não é localizado. No entendimento do Promotor de Justiça, acatado pelo Poder Judiciário, o ex-prefeito estaria tentando se esquivar da aplicação da lei penal. Os processos a que Olímpio Barbosa Neto responde referem-se a crimes e irregularidades praticadas no exercício do cargo de prefeito no período de 2005 a 2008 e dizem respeito ao desvio de verbas públicas. Ele teria autorizado o pagamento de serviços que não foram prestados e de materiais que não foram entregues ao Município, apropriando-se posteriormente de parte dos valores e concordando com que empresários também se apossassem das verbas públicas. No pedido de prisão, o membro do MPE relatou que há provas da prática dos crimes e indícios suficientes da autoria, atribuída ao ex-prefeito. Em 2012, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) condenou o ex-gestor a devolver R$ 10 milhões aos cofres públicos. O TCE verificou que o ex-prefeito, além de não prestar contas, não apresentou os documentos comprobatórios da destinação dos recursos públicos arrecadados pelo município, no último ano de mandato, durante a fiscalização. O TCE apurou, ainda, a devolução de 200 cheques sem fundos e 69 devolvidos por impedimento de pagamento, além de pagamentos de taxas e juros por emissão de cheques sem fundos no montante de R$ 4.471,70. Esse ano, a Justiça já determinou o bloqueio de R$ 211 mil em bens do ex-prefeito por não prestar contas da aplicação de R$ 105 mil de um convênio feito com o Ministério da Saúde.

Comentários (0)

Mais Notícias

ASTT

Mais de 220 veículos apreendidos em Araguaína serão leiloados em novembro

Segundo o edital, todos os veículos estão na modalidade circulação e foram recolhidos durante operações de fiscalização.

Protesto

Moradores plantam pés de banana no meio de rua esburacada no norte do Estado

Moradores também reclamaram do atraso nas obras de pavimentação.

Trânsito

Acidente em rotatória mata jovem e deixa outro gravemente ferido em Palmas

Moradores reclamam que não há iluminação e a sinalização é precária na rotatória.

Notícias falsas

TSE vai anunciar medidas contra fake news após tensão entre Haddad e Bolsonaro

A semana que passou foi tensa, pois Haddad acusou Bolsonaro de estar por trás do esquema.

Concurso PM

Por requisição do MPE, PM vai apurar falhas no concurso para soldado e oficial

Cerca de 16 candidatos são acusados de fraudar as provas para o concurso da PM do Tocantins

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.