Tecnologia

Plataforma mostra mapeamento de Araguaína com imagens de satélite em alta resolução

População pode ter acesso à plataforma para saber localização precisa de qualquer imóvel.

Por Redação 1.971
Comentários (0)

22/01/2021 16h19 - Atualizado há 1 mês
Mapeamento pode ser acessado por qualquer pessoa

O prefeito de Araguaína, Wagner Rodrigues, se reuniu com o secretário da Fazenda, Tecnologia, Ciência e Inovação, Fabiano Souza, e membros da equipe técnica na manhã desta sexta-feira (22) para a apresentação da nova plataforma digital responsável pelo mapeamento via satélite de toda a cidade, possibilitando a atualização do cadastro imobiliário e informações essenciais em diversas áreas, como planejamento urbano, Defesa Civil, projeto e obras, meio ambiente, saúde e educação da cidade.

O levantamento teve início em 2019 e já mapeou 63 mil imóveis entre áreas desocupadas e edificadas. A plataforma digital que permite o acesso a diversos dados da cidade, como o valor do metro quadrado por região, localização de ciclovias, escolas e unidades básicas de saúde, é de acesso livre a toda a população.

“Qualquer morador poderá acessar informações detalhadas com um clique. A plataforma faz parte do planejamento da prefeitura para gerenciar e direcionar ações de forma mais efetiva, econômica e transparente utilizando o geoprocessamento”, explicou o secretário.

Um dos dados que já podem ser acessados pela plataforma é a quantidade e detalhes precisos dos imóveis. Araguaína hoje conta com 44.683 edificações e 60.750 lotes. 60% dos imóveis já foram mapeados e tiveram também os valores corrigidos pela Secretaria da Fazenda.

IPTU

O trabalho de georreferenciamento também está sendo utilizado para a atualização cadastral dos imóveis, considerando a valorização ou desvalorização da área construída. A ferramenta tornará a cobrança do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) ainda mais precisa, garantindo uma tributação justa.

“Este é um trabalho inédito e muito importante para Araguaína. Com o mapeamento, o Município pode atuar de forma mais efetiva, corrigindo distorções de cadastro para uma cobrança de IPTU justa e evitando aumentos de alíquotas”, disse o prefeito Wagner Rodrigues.

O projeto foi discutido com autoridades e representantes da Sociedade Civil Organizada para a abertura de uma licitação que contratou a empresa responsável pelo georreferenciamento. Até o momento, mais de 5,8 mi de metros quadrados foram mapeados, o que representa 37,3% da cidade de Araguaína.

Essas informações já nos permitiram buscar recursos e realizar projetos mais precisos. É muito importante que usemos a tecnologia para que avancemos em informação. Após essa etapa do processo de geoprocessamento de dados, vamos partir para novas etapas, como catalisar informações sobre meio ambiente, infraestrutura, educação e saúde”, explicou o secretário de Tecnologia, Ciência e Inovação, Fabiano Souza.

Trabalho conjunto

O mapa também possibilitará o acesso a informações essenciais em diversas áreas, como planejamento urbano, Defesa Civil, projeto e obras, meio ambiente, saúde, educação e a atualização do cadastro dos tributos municipais.

Com o levantamento do relevo da cidade, feitos com sensores lasers em toda área urbana, é possível identificar pontos vulneráveis da cidade, evitando futuros alagamentos. Outra possibilidade é o gerenciamento dos estudantes das escolas públicas municipais, otimizando os processos de matrícula escolar, distribuição de vagas considerando aspectos de proximidade (domicílio/escola), distribuição espacial das escolas e creches e a identificação de déficits.

“Isso vai otimizar o planejamento de todas as ações do Município, tornando-as mais efetivas até mesmo na hora de encaminhar uma pessoa à unidade básica de saúde mais próxima”, afirmou o secretário do Planejamento, Frederico Prado.

Na saúde, o cadastro também vai tornar possível o planejamento de ações para controle de endemias e epidemias, acompanhamento de doenças transmissíveis e ainda as condições de saneamento.

Meio ambiente

Além do mapeamento das áreas de risco (sujeitas à inundação, deslizamentos e desmoronamentos), a nova plataforma também possibilita o controle por meio das imagens via satélite, da emissão de poluentes pelas indústrias e dos recursos hídricos (nascentes, ribeirões, córregos e lagoas).

As 1.400 imagens capturadas a uma altura de 900 metros do chão, com resolução de 10 centímetros por pixel, também são capazes de identificar até mesmo uma sacola de lixo dentro de Área de Preservação Permanente (APP).

Acesso à plataforma

A população em geral pode ter acesso à plataforma com o mapeamento cartográfico para que possa saber onde está a localização precisa de qualquer imóvel na cidade. “É uma espécie de Google Maps de Araguaína atualizado e preciso. A plataforma permite agilidade na busca de uma localização na compra de um imóvel, por exemplo, ou para ter precisão em relação a um endereço”, explicou Souza.

O link para acesso ao mapeamento cartográfico na plataforma é https://bit.ly/2Y0sPB0.

Reunião com o prefeito Wagner Rodrigues

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.