Transporte Público

Presidente da Cooperlota diz que sem reajuste da tarifa serviços podem ser paralisados em Araguaína

Por Mara Santos
Comentários (0)

09/05/2016 15h56 - Atualizado há 2 anos
O presidente da Cooperativa dos Transportadores Autônomos de Passageiros (Cooperlota), José Roberto do Nascimento, fez uso da tribuna da Câmara de Vereadores de Araguaína nesta segunda-feira (09/05) para falar sobre a necessidade de reajuste da tarifa de transporte público municipal. A cooperativa solicitou reajuste de 20% do valor da tarifa do transporte, subindo dos atuais R$ 2,5 para R$ 3.  O valor não é reajustado há cinco anos. Sem o reajuste, o presidente alegou que se torna inviável manter a continuidade dos serviços, podendo haver paralisação. Segundo o presidente, as receitas da cooperativa têm sido menores que as despesas, gerando uma defasagem mensal de cerca de R$ 45 mil. Entre as causas do desequilíbrio das contas, o presidente apontou a gratuidade integral ou parcial dos serviços, como os descontos concedidos aos estudantes, além dos aumentos do preço do combustível e das despesas operacionais, devido à inflação. Para Nascimento, a sobrevivência da cooperativa depende da elevação da tarifa ou da concessão de subsídio. A maioria dos vereadores se posicionou contrária ao reajuste. Eles alegaram que o momento é inoportuno para discutir reajustes, em razão da crise econômica enfrentada pelo país.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.