Dinheiro Público

TCE pretende criar novos cargos comissionados mesmo após extrapolar limite de gastos com pessoal

Por Redação AF
Comentários (0)

12/12/2017 10h03 - Atualizado há 2 meses
O limite prudencial de gastos do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins (TCE) foi extrapolado no 2º quadrimestre deste ano, mas o órgão de fiscalização ainda pretende enviar projeto de lei à Assembleia Legislativa prevendo a criação de novos cargos de provimento em comissão. O fato foi denunciado e questionado por um servidor do tribunal. Já o TCE garante que o impacto financeiro não afetará o limite de despesas com servidores e que o Projeto de Lei pretende fazer adequações na estrutura organizacional do órgão. Segundo o relatório da Coordenadoria de Análise de Contas e Acompanhamento da Gestão Fiscal do TCE, a despesa com pessoal do 2º quadrimestre foi superior a R$ 89 milhões. O valor corresponde a 1,21% da Receita Corrente Líquida do Estado e 98,19% do limite fixado no artigo 20 da Lei de Responsabilidade Fiscal. A quantia está acima do limite conforme a Lei Complementar nº 101/2000, que impede o órgão de criar novas despesas caso 95% do limite fixado seja ultrapassado. O TCE também estaria proibido, segundo a legislação, de fazer "concessão de vantagem, aumento, reajuste ou adequação de remuneração a qualquer título, salvo os derivados de sentença judicial ou de determinação legal ou contratual”. No dia 10 de outubro, a Coordenadoria de Análise de Contas e Acompanhamento da Gestão Fiscal, por meio de um documento, sugeriu emissão de alerta ao Tribunal de Contas, por apresentar despesa com pessoal acima do limite prudencial da LRF, que é de 1,17%. Apesar de tudo isso, o Tribunal de Contas ainda pretende aumentar suas despesas modificando a legislação. Por meio de uma proposta a ser enviada à Assembleia, o órgão quer alterar a Lei 1.527 de 2004, que fixa em R$ 10.765,03 e R$ 6.448,61 o vencimento e a representação dos cargos de Chefe de Gabinete da Presidência; Chefe de Gabinete de Conselheiro; Assessor Especial de Gabinete da Presidência; Assessor Especial de Gabinete de Conselheiro; Assessor Especial de Gabinete do Procurador Geral de Contas; Chefe de Gabinete do Corregedor; Assessor Especial de Comunicação, Assessor Especial de Planejamento e Desenvolvimento Institucional; Diretor-Geral do Instituto de Contas; Diretor-Geral de Controle Externo; Diretor-Geral de Administração e Finanças, Assessor Central de Controle Interno e Secretário Geral do Pleno". Os valores das remunerações mencionadas no projeto já estão em vigor e por esta razão a mudança será incluir seis cargos criados ou com nomenclatura alterada, como chefe de gabinete do corregedor; assessor especial de Comunicação, assessor especial de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, assessor Central de Controle Interno e secretário Geral do Pleno. De acordo com o Tribunal, por exemplo, ‘o cargo proposto de chefe de gabinete do corregedor é apenas a nova nomenclatura do cargo de assessor especial do corregedor, sem alterar o vencimento’. Para o servidor que denunciou o fato, a proposta é ‘ insana’ e ‘absurda’, uma vez que o próprio órgão que fiscaliza e penaliza este tipo de conduta, está tentando aumentar despesas, estando já acima do que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal. Além disso, o denunciante também questiona a concessão de indenização ao servidor que coordena a Assessoria Militar e a de Ajudância de Ordens da Presidência. Segundo o servidor, o militar que está no cargo é sobrinho do presidente do Tribunal, Manoel Pires dos Santos. “Agora ele está criando um salário para ele. Como o TCE vai aumentar despesas se ele não pode aumentar?”, indagou. CONCURSO No Projeto de Lei nº 06/2017, o TCE também pretende alterar a Lei 2.926, de 03 de dezembro de 2014 e os dispositivos das Leis 1.284 de 17 de dezembro de 2001 e 1.903 de 17 de março de 2008.  A intenção é modificar as leis que dispõem sobre as indenizações pelo exercício de funções de controle externo e administrativo, sobre os recursos do Fundo de Aperfeiçoamento Profissional e Reequipamento Técnico do Tribunal de Contas do Estado e da concessão do auxílio-creche. Conforme apurado, o TCE pretende alterar a Lei 1.284  com intenção de adquirir crédito especial no valor de R$ 30 mil no Orçamento Fiscal do Estado, em favor do Fundo de Aperfeiçoamento Profissional e Reequipamento Técnico do Tribunal de Contas, para a realização de concurso público. Com informações do Portal CT.

Comentários (0)

Mais Notícias

Perigo

Crianças são arrastadas por enxurrada enquanto banhavam em córrego de Palmas

Os garotos tomavam banho no córrego quando foram surpreendidos pela força da água.

Engavetamento

Ônibus perde freios e provoca engavetamento na principal avenida de Araguaína

O engavetamento envolveu um ônibus, um veículo de passeio e um caminhão de pequeno porte.

Ipueiras (TO)

Ex-prefeito é denunciado por não repassar empréstimos consignados aos bancos

Dezenas de funcionários foram lesados e tiveram seus nomes negativados no SPC/Serasa.

Caso Gislane

Mulher é presa suspeita de encomendar morte de jovem por ciúmes do namorado

A PM prendeu Marcela ainda dentro do ônibus quando chegava a cidade de Cristalândia

Animal Silvestre

Tamanduá-bandeira é capturado dentro de casa em Araguaína e solto na natureza

O animal foi colocado numa gaiola e solto em uma área verde próximo à cidade.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.