Em Palmas

Associação acusa vereador Marilon Barbosa de tentar expulsar famílias de terra da União

Processos que tramitam na Justiça e no Incra podem solucionar o impasse.

Por Redação 1.251
Comentários (0)

21/05/2022 08h15 - Atualizado há 1 mês
Chácara da família que teria sido ameaçada

Em denúncia enviada ao AF Notícias, a Associação dos Chacareiros do Setor Alto Bonito acusa o vereador de Palmas Marilon Barbosa (DEM) de tentar grilar terras da União e fazer ameaças a famílias que vivem na Serra do Taquaruçu. 

Conforme a associação, que representa os chacareiros do Lote 16-B, Gleba 02, Loteamento Serra do Taquaruçu, um homem de moto compareceu na chácara de uma das famílias no início da manhã de 17 de maio, disse ser funcionário do vereador e se retirou sem falar mais nada.

No dia seguinte, o mesmo homem voltou ao local acompanhado de outras duas pessoas e mandou o chacareiro suspender imediatamente sua construção. Dessa vez, o homem teria alegado que a área pertence ao vereador Marilon Barbosa e que será cercada após a retirada dos chacareiros.

Diante de tal intimidação e ameaça, o chacareiro parou com a construção de seu barroco”, disse a associação.

Polícia Militar

Cerca de duas horas depois, duas viaturas da Polícia Militar também compareceram ao mesmo local procurando se o chacareiro realmente tinha parado com a construção da obra.

Na nota, a associação questiona a utilização das estruturas e agentes da Polícia Militar a serviço do vereador Marilon Barbosa neste tipo de ação.

Grilagem

Conforme a associação, todos os fatos ocorridos até o momento envolvendo a questão e o conflito pela terra nesta área fazem parte de um conjunto de ações articuladas e executadas por Marilon Barbosa, “que quer, a todo custo, expropriar e grilar, como de costume, terra pública da União”.

Processo na Justiça

Ainda conforme a associação, a área encontra-se em processo judicial e também tramita no INCRA uma ação requerendo vistoria para regularização.    

“A associação espera que, de fato, seja feita justiça, dando assim passos importantes para iniciar processo de regularização fundiária dos chacareiros envolvidos nesta questão. Vamos continuar resistindo nessa luta até conquistarmos nosso direito”, finalizou.

A reportagem solicitou nota de esclarecimento à assessoria do vereador ainda no sábado (21), mas ainda não obteve retorno.

O QUE DIZ O VEREADOR?

A propósito da veiculação de matérias com o meu nome, Marilon Barbosa, relacionadas a eventual comparecimento de uma pessoa, na Associação dos Chacareiros (as) do Setor Alto Bonito, em Palmas/TO, afirmando ser meu funcionário, refuto de forma inconteste, desconhecendo qualquer movimento que tenha partido de minha pessoa para a prática de tal ato, porém, sabe-se, que nessa região está acontecendo várias invasões ilegais, no caso específico venho a público esclarecer:

1. Quem me conhece sabe muito bem, sempre pautei pela valorização moral, respeito e retidão, não sendo de minha natureza humana, a prática de qualquer ato que venha desencadear em violência;

2. Nessa região, de fato, a Senhora Paulanne Cardozo, minha filha, possui o domínio (título definitivo) e a posse de áreas de terras no Loteamento Serra do Taquaruçu, adquiridas no ano de 2008, do Senhor Gedeon França Paz, ou seja, tem mais de 14 anos, e como já dito, está devidamente titularizada e registrada no cartório de Registro de Imóveis desta Capital;

3. Mesmo sem ter conhecimento do que alegam os chacareiros, nota-se que o Código Civil Brasileiro, oferece garantias ao direito de propriedade, sendo esses direitos, colocados à disposição de qualquer pessoa que se sentir ameaçado em sua propriedade, daí extrai-se, a nítida conotação política que querem atribuir ao caso em tela.

4. Nesta mesma linha, no que tange a informação de uso da Polícia Militar do Estado do Tocantins, vejo com muita estranheza, primeiro por não me encontrar no local dos fatos, segundo por entender que qualquer cidadão do povo, tem acesso ao número 190, podendo assim, os chamar para garantir a segurança que é posta à disposição de toda a sociedade.

5. Pelo que se vê, e é de uma clareza solar, que estão tentando politizar uma situação de Direito, que não se encontra em discussão no ambiente político, e sim no judiciário, portanto, reitero que não tenho nenhuma ligação com os acontecimentos e nem tampouco autorizei ninguém a falar em meu nome

6. Volto a dizer, que não cometi ilícito algum e estou à disposição de todos para quaisquer esclarecimentos.

Palmas, 21 de maio de 2022.

Vereador MARILON BARBOSA"

Construção feita pelo chacareiro
Local fica na serra do Taquaruçu
Terra é da União, segundo associação

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.