Descaso

Bandeirantes, a cidade do Tocantins que sobrevive sem água nas torneiras e refém da ATS

O sistema de distribuição de água é antigo e não passa por manutenção há anos.

Por Redação 2.093
Comentários (0)

13/06/2019 11h24 - Atualizado há 1 ano
Entrada da cidade de Bandeirantes

Bandeirantes é uma cidade localizada na região norte do Tocantins com cerca de 4 mil habitantes. Nos últimos anos, a população tem vivido um verdadeiro drama em decorrência da constante falta d'água nas torneiras.

A responsável pelo abastecimento da cidade é a Agência Tocantinense de Saneamento (ATS). O sistema de distribuição é muito antigo e não passa por manutenção preventiva há vários anos. Imagens enviadas à reportagem mostram a caixa d’água enferrujada, com instalações antigas e rodeada de entulhos.

Segundo moradores, a precariedade na prestação de um serviço essencial, como o de água, vem afetando todo o comércio local, hotéis, restaurantes, escolas, prédios públicos, ou seja, paralisa praticamente toda a cidade.

Para os moradores, ações simples e rotineiras no dia a dia, como lavar louças, roupas e até mesmo tomar banho, viram tarefas difíceis.

É o caso da moradora Sanda Barbosa Santana, que vive na cidade há 28 anos. Ela relatou ao portal AF Notícias que a falta de água na sua residência já chegou a durar seis meses. “Às vezes, a água chega ao meio-dia e acaba uma hora depois. Eu não consigo lavar roupa e nem tomar banho direito”, reclamou.

O mesmo drama também é vivido por Kênia Alves, outra moradora pioneira de Bandeirantes. Ela vende lanches na cidade, mas não está conseguindo trabalhar devido a falta d’água. Com isso, o sustento da sua família também está comprometido.

"O problema é que não tem água pra nada, mas temos de pagar o talão todos os meses. Eu não consigo sequer fazer serviços básicos, como lavar roupas e vasilhas", relatou.

Kênia disse que sempre faz contato com a ATS, mas as respostas são insatisfatórias. Os moradores já defendem ações judiciais contra a empresa.

Diante do grave quadro, o prefeito de Bandeirantes, José Mário, estuda a possiblidade de rescindir o contrato com a ATS e realizar uma licitação para contratação de outra empresa.

O Município propôs também a criação de uma Agência Municipal de Regulação para fiscalizar a execução dos serviços e punir os responsáveis por eventuais falhas. Porém, o projeto está parado na Câmara de Vereadores aguardando votação.

Enquanto o presidente da Câmara, vereador Advaldo Pereira de Souza, não coloca o projeto em pauta, a população continua sofrendo com o descaso na prestação dos serviços. 

O QUE DIZ O PRESIDENTE

O presidente da Câmara afirmou que o projeto de lei foi protocolado na Câmara no dia 6 de junho e está atualmente nas comissões cumprindo os prazos regimentais.

Conforme o artigo 51 do Regimento Interno da Câmara, as comissões têm até 15 dias para emitir o parecer. Em caso de urgência do projeto, esse prazo será reduzido para 6 dias. 

"Não posso atropelar os prazos", disse o presidente, ressaltando que reconhece a gravidade do problema da falta de água. "É realmente uma calamidade. Sou um grande interessado em resolver esse problema", afirmou. 

Moradores vivem sem uma gota de água nas torneiras

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.