Lixão Zero

Cidades se unem para acabar com lixões, implantam aterro sanitário e dão exemplo no Tocantins

Prazo para os municípios eliminarem os lixões se encerra em agosto deste ano.

Por Redação 575
Comentários (0)

14/05/2024 08h46 - Atualizado há 2 semanas
Aterro sanitário de Couto Magalhães.

Notícias do Tocantins -  Uma equipe da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado (Semarh) visitou, nesta segunda-feira (13/5), o aterro municipal de pequeno porte da cidade de Couto Magalhães, que foi implantado em parceria com o município de Juarina. Essa unidade é considerada uma experiência bem sucedida técnica e financeiramente.

A visita à unidade teve o objetivo de conhecer um modelo que pode servir para outros municípios, e faz parte da ação da Rede Tocantins Sustentável, que é coordenada pela desembargadora do Tribunal de Justiça, Ângela Prudente, e do programa Lixão Zero do Tocantins, que é desenvolvido pela Semarh e realiza o mapeamento da cadeia dos resíduos sólidos no Estado.

O prazo para os municípios eliminarem os lixões se encerra em agosto deste ano e 60% dos resíduos ainda são depositados nesse tipo de estrutura.

“Além da visita, estamos à disposição para dialogar sobre as políticas públicas de resíduos sólidos, buscar apoio às melhorias que possam elevar a capacidade dessa unidade que já é uma experiência de sucesso e intermediar a formação de parcerias para ampliar o atendimento aos municípios da região. No Tocantins temos uma das melhores iniciativas, que é essa de Couto Magalhães”, afirmou o secretário da Semarh, Marcello Lelis.

A desembargadora Ângela Prudente falou da criação da Rede Tocantins Sustentável, por meio do qual vem sendo feito um trabalho coletivo com a parceria das instituições do Estado, iniciativa privada e universidades, para desenvolver políticas públicas que possam auxiliar na implantação de aterros sanitários. “O senhor, prefeito, me surpreendeu, chegamos aqui e encontramos tudo controlado, tudo organizado, esse realmente é um caso de sucesso, parabenizo o município de Couto Magalhães, que possui uma estrutura toda trabalhada de forma técnica”, comentou a desembargadora.

Representando o Ministério Público, o promotor de Justiça Francisco Brandes reforçou. “Eu falo muito de Couto Magalhães, o prefeito sabe disso, que temos aqui um exemplo na questão da gestão de resíduos sólidos. A nossa esperança é que todos os municípios do Estado do Tocantins tenham seu aterro municipal e consigam acabar de vez com a realidade dos lixões no Estado”.

O prefeito de Couto Magalhães, Júlio César Ramos Brasil, coordenou a visita, apresentando as instalações, a dinâmica de funcionamento e o investimento realizado. "Recebemos a visita do secretário e sua equipe, que veio nos dar suporte orientação com muita satisfação. Reforçando assim a importância daquilo que já estamos fazendo, pois Couto Magalhães tem um aterro sanitário municipal implantado com recursos próprios, operando em parceria com o município de Juarina, que tem sido uma boa experiência e trazendo soluções para a questão dos resíduos sólidos na Bacia do Araguaia, mais precisamente em Couto Magalhães", destacou o prefeito.

"Foi muito boa a visita do secretário e ficamos muito felizes com essa oportunidade de troca de conhecimentos e troca de experiências proporcionados por este momento”, completou.

O prefeito de Juarina, Manuel Ferreira Lima, afirmou que a implantação de um aterro, mesmo de pequeno porte, é um desafio muito grande para os recursos dos municípios. "Juarina tem trilhado uma trajetória incansável em busca de solução para destinação correta dos resíduos sólidos municipal”, afirmou.

 A diretora de Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos da Semarh, Ellen Amaral, pontuou que, a visita ao aterro faz parte da agenda do programa Lixão Zero, que tem dentro dele a atividade de mapeamento da cadeia de resíduos sólidos. "Uma experiência muito importante, que serve de exemplo para outros municípios. Nosso desafio de eliminar os lixões no Tocantins é enorme, especialmente para os municípios menores, já que o custo de implantação de um aterro é alto”, disse a diretora.

Participação

Além da Semarh e autoridades municipais, participaram da visita técnica ao aterro e da reunião de gestão referente à política municipal de resíduos sólidos em Couto Magalhães, representantes do Ministério Público do Estado (MPE), Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Tribunal de Justiça do Tocantins (TJ-TO).

Vistoria no aterro sanitário.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.