Educação

Com salários em atraso, professores contratados da Seduc vivem drama desde o início das aulas

Muitos ainda não receberam pagamento de março e abril, segundo a denúncia.

Por Conteúdo AF Notícias 3.786
Comentários (0)

18/05/2024 11h03 - Atualizado há 1 mês
Professores contratados pedem socorro à Secretaria da Educação (Seduc)

Notícias do Tocantins – Professores contratados da rede estadual de ensino do Tocantins estão vivendo um drama desde o início do ano letivo de 2024, que começou em 29 de janeiro. Diversos profissionais entraram em contato com a reportagem do AF Notícias para denunciar atrasos salariais.

Conforme os relatos, vários professores ainda não receberam seus salários na integralidade. No pagamento referente ao mês de fevereiro, por exemplo, ocorreram descontos indevidos, resultando em valores inconsistentes, sendo que alguns profissionais receberam mais e outros menos, apesar de terem o mesmo tempo de serviço.

Para piorar a situação, muitos professores ainda estão com os salários de março e abril em atraso. Esses meses seriam pagos a título de indenização em razão da demora para a assinatura dos contratos, o que só ocorreu agora em maio.

“Os nomes dos professores já foram repassados à Seduc, porém, não houve resposta se haverá pagamento ou não. O mês com o maior número de servidores sem pagamento é o de abril”, relatou um professor.

“Essa situação tem gerado um grande transtorno para nossas famílias, pois dependemos desse rendimento para pagar despesas básicas como alimentação, moradia e outras necessidades essenciais”, lamentou. 

“Além das dificuldades financeiras, os professores ainda precisam lidar com problemas de saúde mental, agravados pelo estresse e pela ansiedade decorrentes da incerteza financeira”.

Quando ligamos na folha a resposta é que não há pagamento indenizatório previsto referente ao mês de abril. É preciso que a Secretaria de Educação (Seduc) tome medidas urgentes para resolver essa questão. A regularização desses salários é crucial para a dignidade e o bem-estar dos professores e de suas famílias, além de ser uma questão de justiça e respeito pelos profissionais que se dedicam à educação de nossos estudantes. Por isso, pedimos encarecidamente que as autoridades competentes se mobilizem para resolver essa situação com a celeridade e a seriedade que o caso exige”, finalizou.

A reportagem entrou em contato com a Seduc, mas não obteve resposta até agora. O espaço continua aberto. O secretário da Educação é o professor Fábio Vaz.

Concurso público

Realizado recentemente, concurso público da Educação do Tocantins ofertou 5.242 vagas para professor, coordenador e orientador. Porém, muitas não foram preenchidas, abrindo espaço para contratação temporária de servidores.

Mais de 4 mil candidatos aprovados já foram convocados para posse. Conforme estabelece o edital, o prazo de validade do concurso é de 2 anos, contados a partir da data de homologação do resultado final, podendo ser prorrogado pelo mesmo período.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.