Assista

Curta-metragem da BRK Ambiental mostra impactos do saneamento básico na vida das famílias

Obra mostra histórias de famílias que tiveram as vidas transformadas com a chegada da água tratada.

Por Redação
Comentários (0)

05/09/2019 17h25 - Atualizado há 1 semana
Curta está disponível na internet

Em parceria com a Rede Brasil do Pacto Global, a BRK Ambiental, empresa privada de saneamento básico responsável por 47 municípios no Tocantins e por cidades de outros estados do país, apoia a campanha “O Futuro que a Gente Quer”.

A iniciativa reúne curtas-metragens sobre o impacto dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Organizações das Nações Unidas (ONU) na vida das pessoas, e reforça a importância do setor privado, ao contribuir com a melhoria da qualidade de vida por meio de produtos e serviços.

O segundo curta-metragem da série aborda o ODS 6 (água e saneamento) e apresenta a história de duas famílias que remodelaram suas vidas com a chegada da água tratada e esgotamento sanitário em suas casas, uma na região metropolitana do Recife e outra no sertão do Pernambuco. Entre as personagens, está a diarista Ana Paula Oliveira, que diz se considerar uma pessoa rica por ter um banheiro com descarga em casa.

O curta-metragem conta também com a participação da CEO da BRK Ambiental, Teresa Vernaglia. A executiva reforça a importância da universalização dos serviços de água e esgoto, o que poderia tirar 635 mil brasileiras da pobreza.

“As histórias das personagens estão diretamente relacionadas aos dados que apresentamos na pesquisa Mulheres e Saneamento, realizado em parceria com o Instituto Trata Brasil. Hoje, 27 milhões de brasileiras não têm acesso adequado a água tratada, coleta e tratamento de esgoto, ou seja, uma em cada quatro mulheres se encontram nesta situação”, reforça Teresa Vernaglia, da BRK Ambiental.

A análise feita pela BRK Ambiental reforça ainda que 1,5 milhão de brasileiras não tem banheiro em casa. Por conta disso, a renda dessas mulheres é 73% menor em comparação às demais trabalhadoras. Geralmente, elas precisam se afastar mais do trabalho por adoecerem ou pela necessidade de cuidar das enfermidades da família causadas pela falta de saneamento básico. O acesso aos serviços de água e esgoto possibilitariam um acréscimo de R$ 321,00 em média, à renda anual de cada uma dessas brasileiras, mais de R$ 12 bilhões ao ano à economia do país.

O Estado do Tocantins vive um momento de avanço, onde os investimentos em saneamento estão contribuindo para a saúde da população de 47 cidades. Para os próximos anos, a BRK Ambiental irá investir no Estado, cerca de 1,4 bilhão de reais na expansão do saneamento.

O curta-metragem está disponível nas redes sociais da BRK Ambiental e foi produzido pela agência Social Docs.

Vídeo

 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.