Audiência

Dos EUA, Danilo abre mão da autodefesa no Tocantins; 'ele tem que pagar aqui', diz amiga da vítima

Ele não quis participar da audiência de instrução e se defender da acusação.

Por Neuracy Viana 1.129
Comentários (0)

18/04/2024 15h50 - Atualizado há 1 mês
Autor do crime, Danilo Cavalcante (na esquerda), e vítima, Valter Júnior (direita)

Notícias do Tocantins - Era por volta das 11 horas (9 horas no horário dos Estados Unidos), desta quinta-feira (18/4), quando Danilo Sousa Cavalcante surgiu na tela de transmissão para prestar depoimento à Justiça do Tocantins, por videoconferência. Cumprindo pena perpétua em prisão Americana, Danilo é acusado de assassinar Válter Júnior Moreira dos Reis, em 2017, na cidade de Figueirópolis, a 270 quilômetros de Palmas.

De uniforme laranja e cabelos grandes, o réu estava aparentemente incomodado e, durante entrevista reservada com a defensora pública Cristiane Japiassu, manifestou que não queria participar da audiência de instrução. Assim, ele abriu mão de ser ouvido e se defender das acusações, direito de autodefesa que é garantido pela Justiça.

Desse modo, sem a presença do réu, o juiz Jossanner Nery Nogueira Luna, da Comarca de Gurupi, colheu o depoimento de cinco testemunhas de acusação indicadas pelo Ministério Público. Duas testemunhas prestaram depoimento por videoconferência e três presencialmente. A audiência durou aproximadamente uma hora.

“Ele tem que pagar pelo crime que cometeu aqui no Tocantins, porque está preso nos Estados Unidos pelo crime que cometeu lá”, disse Jéssica Wemilly Silva Moura, amiga da vítima e uma das testemunhas presentes à audiência.

Instrução processual

A fase de instrução processual foi encerrada e agora segue ao Ministério Público para fazer suas alegações finais. Depois será a vez da defesa e, na sequência,  o processo volta para o juiz decidir se o réu será levado ou não a júri popular.

Também participaram da audiência o promotor de justiça Rafael Pinto Alamy (acusação) e a defensora pública Cristiane Japiassu, que foi designada para representar o acusado.

Acordo internacional

Inédita no Judiciário tocantinense, a audiência foi realizada por meio de um Acordo de Cooperação Internacional entre o Poder Judiciário do Tocantins e a Justiça norte-americana, com o apoio do Ministério da Justiça brasileiro. A data da audiência foi, inclusive, proposta pela embaixada norte-americana.

Entenda o caso

Conforme a denúncia, Danilo de Sousa Cavalcante assassinou Válter Júnior Moreira dos Reis no dia 5 de novembro de 2017, por volta de 0h10min, em uma lanchonete localizada na Praça São João Batista, centro de Figueirópolis. Ainda conforme a denúncia, o acusado efetuou seis disparos de arma de fogo em direção à vítima, tirando-lhe a vida.

Após cometer o crime, Danilo fugiu do local. O homicídio teria sido motivado por uma suposta dívida que a vítima tinha com ele, referente ao conserto de um veículo.

Após o assassinato, o acusado fugiu para os Estados Unidos. Em abril de 2021, ele matou a facadas a ex-namorada, Débora Evangelista Brandão, 34 anos, na frente dos filhos, na cidade de Phoenixville. Por esse crime, Danilo foi condenado e atualmente cumpre pena de prisão perpétua na unidade prisional de Chesco, de onde fugiu no dia 31 de agosto do ano passado. A fuga do brasileiro movimentou a polícia da Pensilvânia, que só conseguiu capturá-lo 14 dias depois, em 13 de setembro.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.