Operação Aliança

Grupo familiar suspeito de lavar R$ 500 milhões da corrupção é alvo da Polícia Federal no Tocantins

Policiais federais cumprem 6 mandados de busca e apreensão na capital Palmas

Por Redação 3.039
Comentários (0)

14/09/2023 08h19 - Atualizado há 8 meses
PF está cumprindo 6 mandados em endereços de Palmas

Uma nova operação da Polícia Federal foi deflagrada no Tocantins, nesta quinta-feira (14/9). O alvo é um grupo familiar que realizava remessas de dinheiro para o exterior sem autorização legal.

A 'Operação Aliança' tem como objetivo aprofundar investigações relacionadas a crimes de lavagem de ativos, evasão de divisas e organização criminosa.

Origem do dinheiro

Segundo a PF, parte dos recursos tinham como origem empresas com vínculos a outras pessoas físicas e jurídicas já investigadas em operações por corrupção, peculato, fraude a licitação, organização criminosa e lavagem de ativos.

O Inquérito Policial foi instaurado a partir de informações sobre movimentações ilícitas realizadas na fronteira com a Bolívia e da prisão em flagrante de alguns dos integrantes da organização criminosa.

Apurando-se a origem do dinheiro, constatou-se que parte dos recursos eram provenientes de empresas ligadas a uma mesma família e que tinham vinculação com outras pessoas físicas e jurídicas já investigadas em operações deflagradas pela Polícia Federal.

Quase R$ 500 milhões movimentados

De acordo com as investigações, o grupo chegou a movimentar quase R$ 500 milhões de reais. Nesta etapa da investigação criminal, os policiais federais cumprem 6 mandados de busca e apreensão na capital Palmas, expedidos pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Estado do Tocantins.

Crimes

Os indiciados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de evasão de divisas (art. 22, parágrafo único, da Lei nº 7.492/1986), de lavagem de dinheiro (art. 1º, da Lei nº 9.613/1998), e organização criminosa (art. 2º, da Lei nº 12.850/2013) cujas penas somadas podem chegar a 24 anos de reclusão e multa.

Nome da operação

O nome da operação faz referência ao vínculo familiar entre os integrantes da organização criminosa, bem como à aliança formada entre os envolvidos.

Canal de denúncias

A Polícia Federal disponibiliza o e-mail delecor.drcor.srto@pf.gov.br e a conta WhatsApp (63) 3236-5422 para o recebimento de denúncias e outras informações referentes aos fatos, além do serviço de plantão na própria Superintendência Regional no Tocantins.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.