Decisão

Justiça fixa prazo para governo implementar série de melhorias nos Centros Estaduais de Reabilitação

Demanda reprimida era de 508 pacientes até o dia 19 de maio.

Por Redação
Comentários (0)

21/06/2023 15h10 - Atualizado há 11 meses
Prazo é até 20 de agosto

O Estado do Tocantins tem até 20 de agosto para promover a reestruturação do serviço de reabilitação intelectual e física ofertado nos Centros Estaduais de Reabilitação (CER), em todo o Estado.

A determinação foi proferida pela Justiça, nesta terça-feira (20) e atende parcialmente os pedidos de uma Ação Civil Pública (ACP) conjunta do  Ministério Público do Tocantins (MPTO) e da Defensoria Pública Estadual (DPE-TO).

A sentença também obriga que, no mesmo prazo, seja implantada linha de cuidados para Transtornos do Espectro Autista (TEA), com toda a estrutura necessária para o atendimento efetivo dos pacientes atendidos nos Centros de Referência.

A ação é assinada pela promotora de Justiça Araína Cesárea e pelos defensores públicos Arthur Pádua e Freddy Alejandro, atuantes na área da saúde, e visa assegurar o direito humano e fundamental à saúde, garantindo a oferta de diagnóstico e tratamento digno, disponibilizados pelo Estado do Tocantins e pelo Município de Palmas, conforme competência. A decisão é do juiz Adriano Gomes de Melo Oliveira. 

Outros prazos

Todos os usuários do CER que estiverem inseridos no Sistema de Regulação do Estado (Sisreg) até o dia 20 de junho devem ter a primeira consulta de avaliação realizada em no máximo três meses. 

Após a data de 20 de outubro, fica obrigatório que o ente público deve realizar a primeira consulta do paciente, criança ou adolescente, com transtorno do espectro autista, no prazo máximo de 30 dias após a regulação. A decisão judicial ainda determina prazos para as intervenções multidisciplinares e a necessidade de que os pacientes recebam um plano terapêutico detalhado, entre outros pontos.  

Lista de atendimentos

O Estado também fica obrigado a enviar mensalmente à Justiça a lista detalhada de atendimentos junto ao CER, com nome dos pacientes e tempo de espera da primeira consulta. 

O documento determina prazos para formação de profissionais em novas abordagens terapêuticas. Também deve promover a apresentação e pactuação da rede e linha de cuidado para reabilitação intelectual e física das pessoas com deficiência ou transtornos mentais, inclusive aqueles com transtorno do espectro autista em Comissão de Intergestores Bipartite- CIB com o município de Palmas.

Demanda reprimida

Segundo o documento, a demanda reprimida era de 508 pacientes até o dia 19 de maio para atendimento em consulta para reabilitação Intelectual/neurologia no CER III de Palmas e 364 pacientes para atendimento junto ao CER II de Colinas.

Os dados apresentados pelo Núcleo de Apoio Técnico do Poder Judiciário Estadual (Natjus) ainda apontam que o tempo médio para uma consulta inicial chega a ultrapassar seis meses, no CER de Palmas. Desta forma, seriam necessários mais de 14 meses para zerar a demanda reprimida até a data do levantamento.

Tribunal de Contas

Outra determinação solicita que o Tribunal de Contas do Estado informe se o Estado do Tocantins está cumprindo suas obrigações orçamentárias de planejamento e execução orçamentária com relação ao custeio de tratamento aos portadores de Espectro Autista (TEA).

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.