Maria Eloísa

Menina de 4 anos que vive em UTI desde que nasceu vira xodó em hospital e ganha 'mãe de coração'

Ela está sob os cuidados da equipe multiprofissional desde o seu nascimento.

Por Redação 624
Comentários (0)

13/05/2023 11h15 - Atualizado há 1 ano
Enfermeira Núbia Teles e Maria Eloísa

“Um amor materno além dos laços sanguíneos”, é assim que a enfermeira Núbia Teles, que atuou nos cuidados com a pequena Maria Eloísa, define sua relação com a criança. 

A menina de 4 anos, que vive na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica do Hospital Geral de Palmas (HGP) desde o seu nascimento, é portadora de uma síndrome que a condicionou dependente da ventilação mecânica. Ela chegou a receber alta em janeiro deste ano, mas retornou à unidade após a equipe que ainda a acompanha em domicílio verificar a necessidade de internação. 

“O trabalho na UTI pediátrica sempre foi gratificante pelas conquistas e pelos milagres que vivenciei. A Maria Eloísa, assim como muitas outras crianças que ali passaram, é um exemplo de superação e garra. Aquela pequena iluminava meus dias com um olhar feliz, dona de um sorriso ímpar, fez e faz todos que a rodeiam refletir o quanto a vida vale a pena. A ‘Lolo’ é um ser de luz e aqui no HGP. Ela tem uma família de coração. Eu me sinto a mãe do coração dessa princesa de lindos olhos azuis e um sorriso radiante. Te amo pra sempre, Maria Eloísa”, relatou a profissional. 

Núbia ainda contou que Eline Rodrigues, mãe da Maria Eloísa, a presenteou no dia do aniversário de quatro anos da pequena, dia 29 de abril, organizado no HGP. “Ela me deu uma camiseta escrito ‘Mamãe do coração’ e é realmente assim que me sinto em relação a ela. Todo amor e dedicação não só da minha parte, mas de toda a equipe é a prova de que o mandamento de Deus deixado para nós é verdadeiro: ‘amar ao próximo como a si mesmo’. A Maria Eloísa veste as roupinhas da minha filha Eloísa, que hoje tem 23 anos e que eu guardo com muito amor e carinho. A roupinha de aniversário de quatro anos que ela usava era da minha filha e a do dia das crianças também”, afirmou.

“Me sinto muito feliz em contar com a ajuda de toda a equipe e, principalmente, da Núbia, que sempre se dedicou muito à minha filha. Graças a Deus, ela encontrou mães e pais de coração aqui no HGP e isso tem nos dado todo o suporte que precisamos, mesmo com as condições que temos”, afirmou a mãe, Eline Rodrigues.

A mãe da pequena relata que uma semana de vida foi o tempo que os médicos deram para Maria Eloísa após descobrirem que a menina havia nascido com uma síndrome rara conhecida como Displasia Campomélica, uma doença frequentemente letal, caracterizada por anormalidades esqueléticas e fragilidades ósseas. A mãe descobriu que a filha tinha a síndrome pouco antes do parto, ao fazer uma ultrassonografia.

“Nós moramos em uma fazenda no município de Paraíso, e nesses quatro anos preciso percorrer essa distância de duas a três vezes na semana para ver minha filha, e tenho mais dois meninos, um de 10 e outro de seis anos. Saber que têm profissionais que consideram Maria Eloísa como filha me enche de gratidão. Esse ano, eles fizeram mais uma vez o aniversário dela aqui no hospital, achamos que daria para realizar em casa, mas, como ela precisou retornar ao hospital, ficamos felizes e emocionados, pois aqui é um lugar de muito amor. Graças a Deus, por ter eles em nossas vidas", finalizou a mãe. 

Equipe da UTI pediátrica do HGP comemora aniversário de quatro anos da pequena Maria Eloísa

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.