DE 2019 a 2023

Saúde mental: Polícia Militar soma 743 pedidos de afastamento nos últimos anos, 1 a cada 3 dias

Reportagem conseguiu com exclusividade os dados dos últimos cinco anos.

Por Eduardo Azevedo | Conteúdo exclusivo AF 2.123
Comentários (0)

10/02/2024 10h10 - Atualizado há 2 semanas
743 policiais militares se afastaram por motivo de saúde mental no Estado nos últimos cinco anos

As recentes mortes nos últimos meses de Policiais Militares e outros profissionais da Segurança Pública no Brasil acenderam um sinal de alerta para a necessidade urgente de cuidados com a saúde mental dos policiais tocantinenses.

Estes trágicos eventos mostram a importância da implementação de medidas eficazes de apoio psicológico e emocional dentro da corporação, visando proteger o bem-estar e a saúde mental dos policiais enquanto desempenham suas funções junto à comunidade.

Entre 2019 e 2023, 743 policiais militares do Tocantins solicitaram afastamento de suas atividades por motivos de saúde mental, o que equivale a uma média de aproximadamente 148 por ano. Para visualizar essa frequência, podemos ilustrar que, nos últimos cinco anos, ocorreu em média 1 pedido de afastamento a cada três dias, evidenciando a demanda constante de suporte emocional dentro da corporação.

Os dados foram obtidos com exclusividade pelo AF Notícias, por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), através da Junta Médica Central de Saúde (JMCS) do Tocantins, que é parte da Diretoria de Saúde e Promoção Social.

De acordo com o relatório obtido, em 2019, 127 policiais militares do Tocantins foram afastados devido a problemas de saúde mental. Esse número aumentou para 177 em 2020, representando um aumento de aproximadamente 39% em comparação com o ano anterior. Em 2021, houve uma queda modesta, para 165 casos, seguida por uma redução adicional para 153, em 2022. Já em 2023, o número de afastamentos chegou a 121, o mais baixo no período histórico analisado. 

Não hesite em buscar apoio

A política da reportagem é não divulgar detalhes sobre casos de suicídio ou tentativas. Porém, em outra perspectiva, trata o assunto a partir da ideia de que sempre há métodos de prevenção, já que a falta de compreensão sobre as razões podem levar pessoas a tirarem a própria vida. 

Depressão, esquizofrenia e uso de drogas ilícitas são fatores comuns identificados por médicos em potenciais casos de suicídio. No entanto, esses problemas podem ser tratados e prevenidos em até 90% dos casos, de acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria.

Se você está enfrentando dificuldades, saiba que o Centro de Valorização da Vida (CVV) está disponível para ajudar. Esta organização oferece apoio emocional e prevenção do suicídio de forma voluntária e gratuita, 24 horas por dia, todos os dias da semana. Você pode conversar com eles por telefone, e-mail, chat ou Skype, com total sigilo. Não hesite em buscar ajuda quando precisar. Sua saúde mental é importante e você não está sozinho.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF Notícias. Todos os direitos reservados.