12 anos de reivindicação

Servidores pressionam Wanderlei pela implementação de subteto remuneratório único no Estado

Reunião conjunta com representantes classistas ocorreu na terça (03).

Por Redação 2.019
Comentários (0)

05/10/2023 09h58 - Atualizado há 6 meses
Reunião dos servidores estaduais sobre Subteto Remuneratório Único.

Centenas de servidores públicos tocantinenses e representantes das entidades classistas participaram de uma reunião conjunta, na última terça-feira (3/10), para debater a implementação do Subteto Remuneratório Único. Este foi um compromisso feito pelo governador Wanderlei Barbosa e que completa 12 anos de luta.

O encontro ocorreu no auditório da Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins (Aleto) e foi um marco na união das categorias por um objetivo comum. Após a fala dos representantes e contextualização da demanda coletiva, a comitiva seguiu em comboio para o Palácio do Araguaia, onde os líderes realizaram reunião com o subsecretário da Casa Civil para obterem respostas efetivas sobre a data de envio da matéria para o legislativo.

O presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Tocantins, Bruno Azevedo, agradeceu a presença dos servidores que compareceram à reunião histórica entre as mais de dez entidades impactadas pelo pior subteto do Brasil.

O evento foi marcante na vida de cada servidor porque conseguimos estabelecer a efetiva união e a mobilização em torno desse assunto fundamental para os servidores e suas famílias. Na reunião do Palácio do Araguaia não tivemos resposta acerca do cumprimento da promessa do governador, estabelecida ainda no ano de 2022 para todas as categorias. Diante disso, a mobilização seguirá firme e todas as categorias envolvidas tentarão uma nova reunião”, enfatiza. 

Durante o evento, os líderes sindicais destacaram a necessidade de um diálogo aberto e colaborativo entre as entidades classistas e o governo estadual para garantir uma implementação eficaz e justa do Subteto, tendo como referência a remuneração do desembargador do Tribunal de Justiça do Tocantins, como prevê a lei na Constituição Federal.

Marcaram presença no evento as seguintes entidades: Sindepol/TO, Simed/TO, Sindare/TO, Asmir/TO, Sindifiscal/TO, Aometo, Sicideto, Sindiperito, Agesto e Sindilegis, Asamp, Sindojus Sinsjusto, além de outras autoridades estaduais. 

Sobre o Teto

Conforme os servidores, o teto remuneratório, estabelecido atualmente pelo Executivo Estadual com base no salário do governador, é o último no ranking nacional, tornando meramente simbólicos os planos de cargos e subsídios das categorias, o que causa desigualdades salariais e desmotivação.

Em março de 2022, o governador Wanderlei Barbosa propôs uma correção escalonada, por meio da Proposta de Emenda à Constituição Estadual (PEC) 001/2022, mas a proposta foi retirada de pauta sem explicações.

Servidores reivindicam há 12 anos o subteto.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.