Segurança pública

Tocantins disponibiliza policiais penais para atuar no Rio Grande do Norte, que vive onda de ataques

Estado vem sofrendo uma intensa onda de ataques criminosos em várias cidades.

Por Redação 836
Comentários (0)

24/03/2023 14h38 - Atualizado há 1 ano
Os policiais penais foram designados pela Secretaria Nacional de Políticas Penais

A Secretaria da Cidadania e Justiça do Tocantins (Seciju) disponibilizou sete policiais penais que estão nas forças de segurança da Secretaria Nacional de Políticas Penais (SENAPPEN) para atuarem em Natal, capital do Rio Grande do Norte, visando combater a onda de ataques que acontece há dez dias em todo o estado.

Os policiais penais estão à disposição desde o dia 15 de março e foram designados pela Secretaria Nacional de Políticas Penais (SENAPPEN), compondo a força-tarefa. Estão fazendo parte da missão, policiais penais, gopeanos do Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (Gope), um servidor da Inteligência e outro da Superintendência de Administração Penitenciário e Prisional.

Para o secretário da Seciju, Deusiano Amorim, a união de esforços torna os resultados positivos em prol da segurança da população. “O governador Wanderley Barbosa tem como prioridade a segurança e a união das Forças de Segurança, assim sendo, sempre que se fizer necessário, estaremos prontos a colaborar com nossos melhores esforços, o que garantirá a resolução”, afirmou.

O superintendente dos Sistemas Penitenciário e Prisional, Rogério Gomes, agradeceu pelo empenho dos servidores. "Nós, policiais penais, estamos dispostos a ajudar. Agradeço pelo compromisso de cada servidor e reafirmo nosso trabalho árduo para melhorar e fortalecer cada vez mais os mecanismos necessários para a segurança da população”, disse.

O Gopeano, Wenderson Ribeiro, sintetizou a satisfação em poder atuar nesta ação. “Estamos orgulhosos por estarmos contribuindo para a segurança da população do estado do Rio Grande do Norte. Deixamos aqui nosso agradecimento aos nossos gestores pela confiança em ceder os policiais penais para esta missão, em consonância com as decisões do nosso governador, cooperando com outros estados da nossa federação”, concluiu.

Estratégia e efetividade

O chefe de operações, Cléber Solano, explicou que a missão dos intercambistas tocantinenses tem foco na intervenção e o contato com outros policiais permitindo grandes ganhos. “Vários estados estão mandando seus profissionais, e essa troca de experiência permite que todos possam ampliar suas expertises, crescendo e melhorando”, afirmou.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.