Operação Canguçu

Três governadores acompanham caçada a criminosos no Tocantins: 'bandido nenhum vai criar nessa região'

"Os nossos homens não vão sair até que todos os criminosos sejam detidos", afirmou Wanderlei

Por Redação 679
Comentários (0)

29/04/2023 11h24 - Atualizado há 11 meses
A operação conta com 350 homens, que estão distribuídos em cidades do Tocantins e Mato Grosso.

O governador do Tocantins, Wanderlei Barbosa, recebeu nesta sexta-feira (28), em Pium, os governadores de Mato Grosso, Mauro Mendes, e de Goiás, Ronaldo Caiado, para juntos acompanharem as ações da Operação Canguçu, que atua na captura de criminosos que aterrorizaram a cidade de Confresa (MT).

Durante o encontro, os governadores reforçaram a parceria de união das forças de segurança entre todos os estados envolvidos, incluindo apoio das forças policiais dos estados do Pará e de Minas Gerais.

A tentativa de roubo ocorreu no início de abril, em Mato Grosso. Após a ação frustrada, a quadrilha adentrou em solo tocantinense pela região da Ilha do Bananal. Nos primeiros 10 dias da Operação Canguçu, as forças policiais conjuntas capturaram dois criminosos. Durante confronto com a polícia, oito suspeitos foram mortos.

O governador Wanderlei Barbosa reforçou a importância da parceria e garantiu estar aberto ao que for preciso, colocando o quantitativo de policiais que for necessário para conter os criminosos. “Quero agradecer tanto ao governador Mauro Mendes, quanto ao governador de Goiás, Ronaldo Caiado, o Helder Barbalho, do Pará, Romeu Zema, de Minas Gerais, que enviaram homens. Aqui há uma força-tarefa com o esforço de todas as nossas frentes de segurança. Da Polícia Militar, da Polícia Civil, da Inteligência, todos mandaram reforços para colaborar com essa ação. A área aqui é de difícil acesso, mas estamos entrando e tendo resultados”, afirmou o governador.

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, ressaltou que a união se faz necessária para a segurança da população e que confia no Governo do Tocantins para a execução da operação. “Com a união dos estados e das forças de segurança, nós estamos dando uma demonstração clara de que bandido nenhum vai criar nessa região do país. Vamos ficar aqui quantos dias forem necessários”, disse. 

Visita nas barreiras

Foi montado um esquema especial de segurança nas fronteiras entre os estados, com o objetivo de evitar a passagem dos suspeitos e capturá-los em caso de tentativa de fuga. Durante a tarde desta sexta-feira, 28, os três governadores estiveram nas localidades do Tocantins, onde o forte esquema de segurança está montado. 

“O nosso policiamento está de parabéns”, reforçou o governador Wanderlei Barbosa, que destacou, ainda, que as barreiras estão com atuação contínua e ininterrupta nos locais próximos onde o crime aconteceu. “Os nossos homens não vão sair do local até que todos os criminosos sejam detidos”, finalizou. 

Segundo o secretário de Segurança Pública do Tocantins, Wladimir Mota Oliveira, a união de forças entre os estados é fundamental para o combate ao crime organizado. “De forma integrada, buscamos junto às demais forças do nosso Estado e dos demais entes da federação, unir esforços para um combate efetivo da criminalidade. A exemplo da Operação Canguçu, na qual recebemos forças policiais de outros estados e estamos apoiando no que é necessário. Essa parceria firmada hoje vem corroborar com a política de segurança pública, a qual acreditamos, com forças integradas em prol da promoção de uma cultura de paz ", afirmou.

O comandante-geral da PM no Tocantins, coronel Márcio Antônio Barbosa, também reforçou que os resultados expressivos da Operação Canguçu refletem a ação conjunta das forças de segurança do Tocantins, Mato Grosso, Goiás, Pará e Minas Gerais. “São 350 policiais militares empregados na captura do bando que tentou assaltar a base de valores em Confresa. A operação está ocorrendo com integração de cinco estados. Continuaremos as ações em busca dos criminosos que continuam homiziados nas matas. Muito orgulho da nossa polícia e dos nossos policiais”, destacou.

Operação Canguçu

A operação conta com 350 homens, que estão distribuídos em cidades do Tocantins e Mato Grosso. As buscas são feitas com a ajuda de cinco aeronaves enviadas por outros estados, barcos, drone e cães. 

Desde o dia 10 de abril, as forças policiais de vários estados seguem a busca pelos assaltantes que fugiram pelos rios Araguaia e Javaés, no Tocantins, e estariam escondidos zona rural dos municípios de Pium, Marianópolis, Araguacema, Caseara e também na Ilha do Bananal.  As barreiras policiais estão nas localidades estratégicas, no qual as abordagens de veículos são feitas de forma ininterrupta.

As buscas são feitas com a ajuda de cinco aeronaves enviadas por outros estados, barcos, drone e cães

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.