Prevenção

Campanha Outubro Rosa e a luta das mulheres brasileiras contra o câncer de mama

A batalha contra a doença é diária e quanto mais cedo diagnóstico maiores são as chances de cura.

Por Gláucia Peixoto
Comentários (0)

09/10/2018 14h49 - Atualizado há 4 meses
O Outubro Rosa acontece neste mês

O Outubro Rosa chegou e com ele a necessidade social de prevenir o câncer de mama e também apoiar quem está na luta contra a doença, que é o segundo tipo de câncer que mais vitima as brasileiras.

Na verdade, a batalha contra a doença é diária e quanto mais cedo ocorrer o diagnóstico maiores são as chances de cura.

Nesse sentido, as mulheres que dependem do Sistema Único de Saúde (SUS) encontram seu primeiro grande obstáculo, já que segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), 66,2% das mulheres descobrem ou suspeitam da existência da doença a partir do autoexame das mamas.

Por um lado, o fato é positivo, pois mostra a atenção e cuidado da mulher com a própria saúde. Mas por outro lado, fica clara a ineficiência do SUS, uma vez que só é possível identificar nódulos com mais de um centímetro por meio do próprio toque, o que dificulta o tratamento.

Para a medicina, a mamografia pode detectar a doença em uma fase primária e mais possível de tratamento, contudo a lei brasileira só torna o exame obrigatório pelo SUS após os 40 anos de idade.

Outro problema grave é a dificuldade do tratamento tanto na fase cirúrgica quanto aos tratamentos com quimioterapia. Muitas pacientes têm seus procedimentos atrasados ou precisam viajar longas distâncias para realizar as sessões de quimioterapia.

Força e apoio nas redes sociais

Ao receber o diagnostico de câncer de mama, a reação da maioria das mulheres varia entre tristeza e desespero, situação que pode piorar ao longo do tratamento. Por isso, muitas pacientes buscam grupos de apoio, principalmente nas redes sociais.

Vários sites e blogs se especializam em motivação e troca de experiências entre pacientes. Dessa forma, muitas mulheres encontram nos grupos a força necessária para seguir e reencontram a alegria de viver.

“E fui conhecendo pessoas maravilhosas..... Cleide, Vera, Raquel, Marcia, e as pessoas mais lindas do planeta: Bia, Estela e Maria do Rosa mulher. Fui em outros grupos de apoio, mas no Rosa era como estar com minha família um local com muito amor e acolhimento, afeto”, afirma Valderez Mello Gonçalves sobre o grupo de apoio Associação Rosa Mulher.

No grupo, as mulheres trocam experiências e recebem apoio durante o difícil processo de tratamento.

Ana Furtado

Outro fato que chamou a atenção nesta fase do Outubro Rosa foi a emocionante participação da atriz Ana Furtado, no início de outubro, no programa ‘Mais Você, da TV Globo.

Ana Furtado revelou seu diagnóstico desde maio e, a partir de então, comove a muitos com seus relatos nas redes sociais. A atriz já passou por uma cirurgia e pela última sessão de quimioterapia, mas o tratamento só termina em dezembro.

Conte sua história

O ‘Sintonia Feminina’ gostaria de contar a história de mulheres do Tocantins que já passaram ou passam por essa doença e suas fases de tratamento.

Acreditamos que seus relatos podem ser luz para muitas mulheres que descobriram a doença e que podemos contribuir levando esperança e motivação para aquelas que enfrentam essa enfermidade. 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.