Superação

Capitã da PM e engenheiras relatam desafios ao longo da carreira no Tocantins

A capitã Ilma está na PM há 14 anos e afirmou que nunca sofreu preconceito. 

Por Redação 1.147
Comentários (0)

19/03/2019 11h05 - Atualizado há 5 meses
Roda de conversa com mulheres na Unitins

Em profissões tipicamente masculinas, como a Polícia Militar, engenharia elétrica e agronomia, três mulheres relatam dificuldades, preconceitos e superações enfrentadas ao longo da carreira.

A capitã Ilma está na PM há 14 anos e afirmou que nunca sofreu preconceito, apesar de ser uma profissão de risco. 

"Antes de entrar na corporação, eu ouvia que a polícia não era lugar de mulher. Mas já durante o concurso fui conhecendo e percebi o quanto de oportunidades eu teria pela frente. Percebi que a polícia é sim lugar de mulher!", contou.

Sobre o fato de estar sempre armada e como lida com isso, Ilma disse que já é algo natural para ela, pois foi treinada para isso e age com naturalidade.

Engenheira elétrica e técnica em mecatrônica, Lorena Neves também disse que recebeu muitos ‘olhares tortos’ de colegas de trabalho e de clientes até conseguir ganhar seu espaço.

Sofri muito preconceito. Teve muito cliente que não aceitava que fosse eu a revisar o carro. Fui conquistando meu espaço e adquiri muitos clientes”, falou.

Já a engenharia agrônoma doutora e professora Eliane Archangelo recebia da família o incentivo para fazer graduação em outras áreas, mas, por ser filha e neta de produtores rurais, preferiu permanecer no mesmo meio.

Ela relembra que se formou numa turma de 50 homens e três mulheres, apaixonou-se pela área de pesquisa e atualmente vê a participação de mulheres crescendo no agronegócio.

Hoje as moças estão fazendo agronomia e acho que os pais também estão incentivando esse ingresso”, destacou.

Os relatos das mulheres foram feitos durante roda de conversa na sede administrativa da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), em Palmas, nesta segunda-feira (18), durante mais uma atividade da programação alusiva ao Dia Internacional da Mulher.

A programação conta com eventos previstos até o dia 25 de março. No dia 22, às 16h30, haverá uma palestra intitulada “Lugar de mulher também é na obra”, com Elaylton Reis, no auditório da sede administrativa da Unitins em Palmas.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.