Denuncie

Em briga de marido e mulher, é preciso sim meter a colher; veja como denunciar

No Tocantins, há uma rede de proteção para atender vítimas de violência doméstica. Denuncie através do 180 ou 190.

Por Redação
Comentários (0)

02/10/2018 08h34 - Atualizado há 9 meses
Denuncie a violência

‘Em briga de marido e mulher, não se mete a colher’. A expressão popular é notoriamente repudiável diante dos recorrentes casos de violência doméstica, ameaças e ataques.

No Tocantins, uma rede de proteção formada por delegacias, juizados e varas especializadas, casas-abrigo, centros de referência, serviços de saúde e órgãos do poder público e da Justiça estão junto à Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) à disposição para atender as vítimas.

A DPE-TO conta com o Núcleo Especializado de Defesa da Mulher (Nudem), que tem como atribuições prestar a assistência jurídica às vítimas de violência doméstica e familiar, nos termos da Lei 11.340/2006. A sede no Núcleo está no segundo andar da DPE-TO em Palmas e o telefone é 3218-6771.

Os principais meios de denúncias relativas à violência doméstica são o ‘Ligue 180’ e ‘Disque 190’, que podem ser acionados gratuitamente.

Em caso de violência sexual, a vítima deve procurar o Serviço de Atenção às Pessoas em Situação de Violência Sexual (Savis), que funciona no Hospital Maternidade Dona Regina (HMDR), em Palmas, além de hospitais ou postos de saúde públicos para o atendimento de primeiros socorros e narrativa da agressão.

Outra iniciativa é ir até à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), registrar Boletim de Ocorrência, requerer as medidas protetivas de urgência (MPU) e/ou representar criminalmente.

Onde denunciar a violência

Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAMs)

São unidades especializadas da Polícia Civil para atendimento às mulheres em situação de violência. As atividades das DEAMs têm caráter preventivo e repressivo, devendo realizar ações de prevenção, apuração, investigação e enquadramento legal, as quais dever ser pautadas no respeito pelos direitos humanos e pelos princípios do Estado Democrático de Direito.

Núcleos ou Postos de Atendimento à Mulher nas Delegacias Comuns

Constituem espaços de atendimento à mulher em situação de violência (que em geral, contam com equipe própria) nas delegacias comuns.

Defensorias Públicas e Defensorias da Mulher (Especializadas)

As Defensorias da Mulher têm a finalidade de dar assistência jurídica, orientar e encaminhar as mulheres em situação de violência.

É órgão do Estado, responsável pela defesa das cidadãs que não possuem condições econômicas de ter advogado contratado por seus próprios meios.

Juizados Especializados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher

Os Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher são órgãos da Justiça Ordinária com competência cível e criminal que poderão ser criados pela União (no Distrito Federal e nos Territórios) e pelos Estados para o processo, julgamento e a execução das causas decorrentes da prática de violência doméstica e familiar contra a mulher.

Promotorias e Promotorias Especializadas

A Promotoria Especializada do Ministério Público promove a ação penal nos crimes de violência contra as mulheres. Atua também na fiscalização dos serviços da rede de atendimento.

Serviços de Saúde Geral e Serviços de Saúde voltados para o atendimento dos casos de violência sexual e doméstica

A área da saúde, por meio da Norma Técnica de Prevenção e Tratamento dos Agravos Resultantes da Violência Sexual contra Mulheres e Adolescentes, tem prestado assistência médica, de enfermagem, psicológica e social às mulheres vítimas de violência sexual, inclusive quanto à interrupção da gravidez prevista em lei nos casos de estupro.

(Cinthia Abreu)

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.