Gravidez na adolescência

Milhares de adolescentes se tornaram mães no Tocantins em 2023; Saúde aponta os impactos

Estado registrou 3.622 nascidos vivos de adolescentes e jovens de até 19 anos.

Por Redação
Comentários (0)

31/01/2024 10h26 - Atualizado há 2 meses
Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência

A gravidez é um acontecimento marcante na vida das famílias e, em particular da mulher, que vive neste período mudanças físicas e emocionais ocasionadas pelo crescimento do bebê. Durante a adolescência, as mudanças podem representar complicações, pois há a possibilidade de riscos típicos da gestação tanto para mãe e filho.

Para sensibilizar sobre a importância da redução e prevenção aos casos de gravidez na adolescência no Tocantins, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO), participa da Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, que acontece entre os dias 01 e 08 de fevereiro. Entre as atividades abordadas está o debate e atenção de políticas públicas, capacitação e reforço nas ações realizadas pelo trabalho integrado realizado pelas áreas da saúde, educação e desenvolvimento social.

Segundo dados da ONU, para cada grupo de mil meninas, de 15 a 19 anos, há uma incidência mundial de 46 nascimentos, sendo que no Brasil a taxa fica em torno de 68,4. A taxa de gestação na adolescência no Brasil é alta para a América Latina, com 400 mil casos/ano.

Dados do Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (Sinasc) mostram que no ano de 2023, o Tocantins registrou 3.622 nascidos vivos de adolescentes e jovens com idade entre 10 e 19 anos, o que corresponde a 16% do total anual, que foi 22.587 nascidos vivos.

“A gravidez na adolescência afeta vários aspectos e diversas fases do desenvolvimento, com impactos na vida social, educacional, econômica, mental e emocional. A gravidez em meninas e jovens de 10 a 19 anos aumenta os riscos à saúde, a possibilidade de desestruturação familiar, alta carga de estresse e sofrimento psíquico, desencadeando diversos problemas que tem impacto na sociedade e na economia como um todo”, disse a técnica da área da adolescente da SES-TO, Sandra Rettemann.

A técnica acrescenta que, “a gravidez na adolescência é um tema que deve ser trabalhado o ano todo, e mais especificamente no início de fevereiro, pois precede o período do Carnaval, sendo importante despertar a atenção e o cuidado com os adolescentes e jovens e com a prevenção através do uso de métodos de prevenção. A Organização Mundial de Saúde (OMS) orienta que os adolescentes e jovens entre 10 e 19 anos não estão preparados fisiologicamente, nem emocionalmente para assumirem as responsabilidades da maternidade e paternidades".

As adolescentes que estão grávidas podem contar com serviços de assistência médica (consultas, exames e acompanhamentos) e psicológica em toda a rede pública de saúde do país. "Quando uma adolescente descobre que está grávida, ela deve procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) de sua região para agendar uma consulta e iniciar, o mais rápido possível, os cuidados do pré-natal", disse o médico técnico da Diretoria de Atenção Primária da SES-TO, Diego de Abreu Noleto.

Ações

A SES-TO tem realizado ações de educação em saúde junto aos municípios para conscientizar e prevenir a gravidez na adolescência, com destaque para a:

- distribuição da Caderneta de Saúde do Adolescente;

- Realização do Fórum Perinatal Estadual;

- I Seminário de Prematuridade Pequenas Ações Grandes Impactos;

- Assessoria presencial às equipes de saúde dos municípios, quanto ao planejamento familiar (Métodos contraceptivos).

- Semana Nacional de Prevenção da Gravidez

A Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência foi instituída pela Lei nº 13.798/2019, que amplia o artigo 8º da Lei 8.069/90 (Estatuto da Criança e do Adolescente).

População deve apoiar as ações de prevenção

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.