Outubro Rosa

Quase 300 mulheres devem ter câncer de mama no Tocantins em 2020, estima INCA

Para o triênio 2020/2022, a estimativa nacional é de 66.280 novos casos da doença.

Por Redação
Comentários (0)

06/10/2020 11h13 - Atualizado há 2 semanas
Mulheres devem fazer prevenção constante

O movimento é mundial e surgiu na década de 90, mas, no Brasil, as primeiras ações começaram em 2002. O Outubro Rosa é uma das principais campanhas em prol da saúde humana durante todo o ano, ainda mais porque conta com enorme adesão da sociedade, empresas, organizações e poderes públicos.

Mas há um bônus nisso: é uma campanha praticamente exclusiva para as mulheres e todos nós sabemos que o público feminino é o que mais cuida de si (e de todos os outros também).

Vamos aos dados

Contudo, informação e conscientização nunca é demais, ainda mais porque sempre há a necessidade de aumentar a adesão às consultas e exames preventivos. E os dados mostram isso: entre os anos de 2014 e 2018, o câncer de mama ocupou o primeiro lugar em óbitos de câncer entre as mulheres com uma taxa de 16,5%, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer - INCA.

Um pouco mais de números:

1. Salvos os casos de câncer de pele não melanoma, o de mama é mais incidente no público feminino no Brasil em todas as regiões do país (INCA)

2. Para o triênio 2020/2022, a estimativa nacional é de 66.280 novos casos (INCA)

3. Ainda de acordo com o INCA, também em 2020, o Tocantins deve registrar cerca de 290 casos de câncer de mama - pelo menos 30 deles em Palmas.

Foco no interior

Em Araguaína, a unidade de oncologia do Hospital Regional de Araguaína, gerida pela Oncoradium - consultas, quimioterapia e radioterapia, é responsável por atender as pacientes da região meio-norte do Estado.

De janeiro até agosto deste ano, o serviço realizou mais de 2.500 atendimentos - consultas, quimioterapias e outros tratamentos - somente para casos de câncer de mama. O número abrange novos casos e casos contínuos, quando um paciente recebe mais de um atendimento durante o tratamento.

Ariana Luz, médica oncologista da Oncoradium, centro especializado em tratamento contra o câncer e responsável pelos atendimentos ambulatoriais, quimioterapia e radioterapia do Hospital Regional de Araguaína, reforça a necessidade do comportamento preventivo das mulheres com relação à mamografia.

“O ideal é começar aos 40 anos, mas se houver histórico na família, recomenda-se a partir dos 35, com exames anuais. Mas a visita periódica à médica ou médico de confiança é fundamental. Se for descoberto logo no começo, as chances de cura do câncer de mama chegam a 95%”, afirma.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.