8 de dezembro

Campanha do Governo propõe abandono da internet por 24h para reflexão sobre vício; é possível?

Campanha quer incentivar convívio familiar sem condenar o uso da internet.

Por Redação
Comentários (0)

02/12/2019 10h31 - Atualizado há 4 dias
Jovens usando o celular

Já pensou em ficar um dia inteiro desconectado, sem internet?

Pois é, mas essa é a proposta de uma campanha lançada pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Uma espécie de detox digital no próximo domingo, dia 8.

A ideia é fazer com que as pessoas se olhem mais nos olhos, conversem pessoalmente. Ou seja, troquem o virtual pelo real, como explica o coordenador dessa área de influência digital do ministério, Daniel Celestino.

E você, conseguiria ficar 24 horas sem internet? A gente sabe que o desafio vai ser difícil para muita gente, como a designer gráfica Isabella Rodrigues, que depende da internet por causa do trabalho, mas que nas horas de lazer também não consegue ficar longe dos aplicativos.

Mas, ela promete dar uma chance e tentar.

Dependência digital

Uma pesquisa realizada pelo Ibope em fevereiro deste ano apurou que 52% dos brasileiros não conseguem ficar um dia inteiro longe do aparelho. Outros 16% apontaram que o uso do smartphone atrapalha no âmbito profissional; 16% dos internautas relatam que o relacionamento com a família é afetado; 12% se distraem com o aparelho enquanto dirigem; 9% disseram que a saúde é afetada; 8% veem o ambiente escolar influenciado; e 6% apontam que o telefone celular prejudica a vida sexual.

Uma outra pesquisa, realizada pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), apontou que no Brasil 88% das crianças de 9 a 17 anos acessam a internet todos os dias ou quase todos os dias. Ansiedade e depressão também estão na lista de possíveis doenças que podem ser agravadas pelo uso imoderado de tecnologias.

O psicólogo e Coordenador do grupo de dependências tecnológicas do Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo (USP), Cristiano Nabuco, explica que usar as novas tecnologias de maneira ilimitada e descontrolada pode acarretar danos à saúde física e mental.

Poucos sabem que após três horas de uso de internet, o cérebro começa a desenvolver um quadro de depressão, perda de habilidade de relacionamento, motivação com a vida, diminuição da autoestima”, explica.

O especialista explica ainda que para as meninas o uso imoderado de redes sociais já representa um perigo real. “Meninas que usam redes sociais por mais de três horas por dia têm o aumento de cerca de 70% de chance de cometerem suicídio. Nós deixamos de ter a troca ‘olho no olho’ e isso começa a criar um problema bastante expressivo na vida das pessoas, uma vez que o cérebro é o responsável por regular o bem-estar pessoal através da sensação de apoio, carinho e afeto”, diz.

A secretária Nacional da Família, Angela Gandra Martins, diz que não é preciso muito esforço para perceber que a nossa rotina diária de vício no celular interfere em nossos relacionamentos. Para ela, somente com a conscientização sobre o uso excessivo é possível corrigir essa distorção.

Por isso propomos esse dia de reflexão. É um dia para estar com a família, para começar novos projetos. Ou seja, para ver por quantas horas a gente consegue se desligar do mundo digital para nos ligarmos ao mundo real”, afirma a secretária.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.