Heróis

'Incrível o que aconteceu', diz militar que reanimou bebê por 2 vezes até chegar ao hospital

A criança chegou nos braços da mãe engasgada e sem conseguir respirar.

Por Redação
Comentários (0)

28/04/2021 09h30 - Atualizado há 1 semana
Após o susto, a mãe da criança pediu para os militares tirassem uma foto com a filha nos braços

Um bebê de apenas 10 dias de vida que estava sem respirar foi salvo graças às técnicas de ressuscitação cardiopulmonar aplicadas por policiais militares do 7º Batalhão em Guaraí, região centro-norte do estado, na noite desta segunda-feira (26).

Segundo o relato do 3º sargento da Polícia Militar de Guaraí, Leonardo Lemos Macedo, eram por volta das 22h quando a mãe da criança, acompanhada da avó materna e de uma amiga, chegaram ao batalhão desesperadas pedindo por socorro com a criança desmaiada nos braços.

"A mãe contou que foi fazer um procedimento de inalação e as vias aéreas da criança ficaram obstruídas pela secreção. Ela chegou desmaiada, praticamente sem vida”, lembrou o sargento.

Imediatamente, o subtenente Robson Pereira da Silva avaliou o estado da criança e iniciou os primeiros socorros com massagens cardíacas e dorsais, conseguindo assim, reanimar a criança e estabilizar seus sinais vitais.

“Incrível o que aconteceu. No momento em que recebi a criança, percebi que seu estado era crítico, o bebê já estava bem roxo, sem respiração e com as mãozinhas e pezinhos gelados. Daí vi o desespero da mãe e pensei que não daria tempo de levar para o hospital, o bebê poderia morrer. Foi quando comecei o procedimento de primeiros socorros e graças a Deus deu tudo certo, a criança voltou a respirar”, contou o Subtenente.

Após estabilizar a recém-nascida, os militares se deslocaram com a criança e sua mãe para o Hospital Regional de Guaraí. Durante o deslocamento, a criança mais uma vez parou de respirar e novamente precisou ser reanimada pela equipe policial que voltaram a realizar os procedimentos de massagem cardíaca e dorsal até que o bebê conseguiu expelir uma secreção que impedia a passagem de ar pelas vias aéreas, e voltou a respirar.

Chegando ao hospital, o bebê foi entregue com vida a equipe médica plantonista.

“A primeira coisa que pensei foi na Polícia, pelo fato de terem treinamento para realizar os primeiros socorros. Eu iria demorar para chegar no hospital e conseguir o socorro necessário. Quando ela crescer saberá que foi salva por heróis de farda e estaremos aqui para reconhecer o trabalho de vocês com gratidão” desabafou a mãe após ver que a vida de sua filha não corria mais perigo.

O 3º sargento diz que se emociona ao lembrar da história, já que também passou por uma situação semelhante, quando a filha tinha apenas quatro meses de vida.

"Eu tenho uma filha de 7 anos, quando ela tinha quatro meses engasgou enquanto amamentava. Peguei minha filha praticamente morta e suguei o líquido com a boca, foi quando ela voltou à vida".

O militar disse que Guaraí não conta com equipes do Corpo de Bombeiros e nem do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e que os policiais frequentemente precisam atuar em ocorrências que exigem noções de primeiros socorros.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.