Sobral – 300×100
Seet

Atletas Sub-13 se destacam e garantem medalhas na Copa Minas de Judô

Agnaldo Araujo -
Foto: Divulgação/Ascom
A competição foi em Belo Horizonte (}MG)

Mantendo a tradição, a equipe Palmas Judô Clube (PJC) voltou a subir ao pódio em importantes torneios do calendário nacional da modalidade. Desta vez, as conquistas foram dois bronzes na 12ª edição da Copa Minas de Judô, realizada em Belo Horizonte (MG), nos últimos dias 2 e 3 de julho. Os atletas da classe Sub-13 Victória Dantas e Luiz Gabriel Barros garantiram a constante vitoriosa da equipe, que retornou para Palmas no final da tarde desta segunda-feira (04/07).

Depois da PJC passar o dia de estreia do evento sem subir ao pódio, Victória, que já havia conquistado um bronze na 11ª edição da competição, voltou a alcançar a terceira colocação pela equipe, desta vez na categoria ligeiro (-31kg), vibrando muito com a nova medalha. “Foi bem difícil para mim, porque no ano passado eu lutei na categoria de baixo [super-ligeiro; -28kg] e eu já conhecia as meninas; agora eu fui numa categoria acima e todas eram muito fortes, com uma pegada bem mais forte. Mas consegui a medalha de novo e estou muito feliz”, destacou a competidora de 12 anos.

Bronze inédito

Também com 12 anos e uma Copa Minas já na bagagem, porém, sem medalha, Luiz Gabriel garantiu o bronze inédito na carreira este ano. Atleta da categoria meio-leve (-34kg), o judoca analisou o próprio feito. “Este ano eu pude experimentar melhor uma competição de alto nível e estou bem feliz com o resultado, por poder defender a equipe nesta categoria e aprimorar a minha experiência em grandes competições, o que me ajuda a me manter motivado para os treinos e para os próximos torneios. Eu agradeço muito a toda a minha equipe por tudo isto”, disse Luiz.

No quase

O principal destaque do primeiro dia da Copa Minas pela PJC foi o judoca Sub-18 da categoria meio-leve (-55kg) Gabriel Santos, que estreou na classe este ano, tendo apenas 14 anos, e venceu quatro lutas, quase alcançando uma medalha, conforme ele mesmo contou. “Para mim a Copa foi ruim, mas boa ao mesmo tempo, porque fiz boas lutas, me senti confiante, mas cometi alguns erros e não pude ganhar a medalha. Eu venci quatro vezes, que é o mesmo número de vitórias que leva ao ouro; mas, como perdi a segunda luta, fui para a repescagem; daí venci mais três e perdi a disputa do bronze. Mesmo triste, sei que isto valeu como experiência para mim”, se confortou o atleta, que disputou outras três Copas Minas antes, tendo se sagrado campeão em 2013 e 2015.

Ganho de experiência

Chefe da delegação PJC na 12ª Copa Minas, Hilton Oliveira acredita que mesmo com um número mais enxuto de medalhas, a campanha foi bastante válida para a equipe. “Nós sempre ganhamos em uma competição assim, deste nível, mesmo que seja em aprendizados. É claro que a gente esperava mais medalhas, mas, o importante é que levamos muita gente sem tanta experiência e que surpreendeu, conseguindo realizar excelentes combates. No geral, por isto, valeu muito à pena, pois esta garotada teve uma oportunidade de aprendizagem muito grande e que só eventos assim proporcionam”, disse o Sensei faixa preta 1º Dan, que contou com 15 atletas em disputa na Copa, que teve 1015 judocas inscritos de 94 clubes de todas as regiões do Brasil.

Delegação Tocantins

Dentre os demais atletas que compuseram a delegação que representou o Tocantins na competição, se destacaram a Ennilara Silva, campeã Sub-23 da categoria médio (-70kg), representando o Sesc, e Jonas Ribeiro, terceiro colocado Sub-18 leve (-66kg), do Colégio Dom Bosco. (Ascom Total).

Comentários pelo Facebook: