Seet
Sobral – 300×100

Empresário faz ação para ajudar travesti que teve casa incendiada: ‘amor ao próximo’

Agnaldo Araujo - |
Foto: Araguaína Notícias
Bárbara Gomes está vivendo na casa de parentes

Um jovem empresário de Araguaína criou um grupo nas redes sociais para ajudar a travesti que teve a casa incendiada de forma criminosa, no setor Morada do Sol 2. Bárbara Gomes, de 33 anos, necessita de móveis, utensílios domésticos, produtos de higiene pessoal e outros. Ela está vivendo de favor na casa de parentes.

O empresário Jorge Wilton Ferreira Lima, que atua no ramo gráfico, contou que o ‘amor ao próximo’ foi o que lhe motivou a iniciar a campanha para ajudar Bárbara. Jorge é evangélico e deseja mostrar às pessoas que “amor e respeito” podem coexistir mesmo com crenças diferentes.

“Como eu faço parte da igreja evangélica muitas pessoas acham que nós temos preconceito. Mas não é isso. Nós queremos mostrar que não é isso. Eles [travestis] são seres humanos e não compete a nós julgarmos o comportamento deles”, pontuou.

O grupo já ganhou a adesão do advogado Zacarias Júnior Rodrigues e do conselheiro tutelar Fernando de Jesus. “Quem quiser doar um ventilador, um colchão, uma cama ou algum outro material, será bem-vindo”, disse o empresário. Eles também criaram um grupo no aplicativo WhatsApp para facilitar o compartilhamento de informações.

Jorge Wilton pontuou que é importante ter amor ao próximo. “Temos de ajudar o ser humano e ter amor ao próximo. Isso que é importante. O desejo nosso é de ajudar o próximo”, afirmou.

Quem puder e quiser ajudar Bárbara pode entrar em contato pelo telefone (63) 9239 5076, falar com Jorge Wilton, ou efetuar um depósito de qualquer valor na seguinte conta: Banco do Brasil. Agência 0638-6. Conta corrente: 15232-3. Titular: Jorge Wilton.

Entenda

Na madrugada do último dia 8 de agosto, homens invadiram a casa de Bárbara e atearam fogo na residência. Ela não estava no local no momento da ação criminosa. Vários objetos e móveis ficaram totalmente destruídos.

A travesti acredita que o crime pode ter sido motivado por preconceito e discriminação.

Veja mais…

Travesti que teve casa incendiada acredita ter sido vítima de ‘discriminação’

Homens arrombam casa de travestis e ateiam fogo no Setor Morada do Sol

Comentários pelo Facebook: