Seet
Sobral – 300×100

Gestão do Hospital Regional de Xambioá reduz gasto com água em R$ 16,5 mil ao mês

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Sede do Hospital Regional de Xambioá

A diminuição do gasto com água em até R$ 16,5 mil ao mês, passando de cerca de R$ 20 mil para pouco mais de R$ 3 mil, foi possível graças à reforma do sistema hidráulico, a melhoria no trato com resíduos sanitários, reduzindo despesas com limpa fossas, e a redução do consumo de energia elétrica com a aplicação de sistemas inteligentes – fotocélula. Esses foram alguns dos avanços conseguidos pelo Hospital Regional de Xambioá (HRX) em 2016.

Além das melhorias citadas e a contratação de mais profissionais para atuarem na unidade, os números mostram a produtividade da equipe multiprofissional. Foram mais de 2 mil atendimentos de urgência e emergência, cerca de 80 atendimentos pediátricos e 150 ginecológicos. Ainda foram realizadas mais de 130 ultrassonografias e aproximadamente 90 atendimentos de fisioterapia e 50 de odontologia.

Segundo o diretor geral da unidade, Ramon Barros Rocha, para 2017 as metas vão desde a contratação de mais profissionais até melhorias estruturais. “Queremos contratar médicos anestesista e nutricionistas e melhorar as estruturas das enfermarias, centro cirúrgico e pronto socorro. Tudo isso irá fortalecer o atendimento aos pacientes que são nosso principal foco”, afirmou.

O diretor informou ainda que a partir de janeiro vai buscar parcerias com os prefeitos eleitos para que estes sejam apoiadores do hospital e assim se estabeleça uma cooperação mútua a fim de que a população da região seja beneficiada.

O HRX

O Hospital Regional de Xambioá é uma unidade de Porte I, situada no extremo norte do Estado, possui 52 leitos e é referência para pacientes dos municípios de Araguanã, Carmolândia, Piraquê, Wanderlândia, Darcinópolis, Angico, Cachoeirinha e Ananás, além das cidades do Pará, como São Geraldo, Piçarra e outras.

Na unidade são ofertadas especialidades clínica médica, clínica cirúrgica, serviço social, odontologia, fisioterapia, psicologia e nutrição. A população também tem acesso a serviços ambulatoriais, ultrassonografia e outros. (Sesau)

Comentários pelo Facebook: