Médico acusado de matar professora em Palmas é denunciado por feminicídio

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Médico Álvaro Ferreira da Silva

O Ministério Público Estadual (MPE) denunciou criminalmente o médico Álvaro Ferreira da Silva pelo assassinato da ex-companheira, a professora Danielle Christina Lustosa Grohs. O crime ocorreu na noite de 17 de dezembro de 2017, em Palmas, e teve muita repercussão.

Ele chegou a ser considerado foragido após o crime, mas acabou preso no dia 11 de janeiro de 2018 em Anápolis (GO) depois de postar uma selfie tirada em uma igreja.

Álvaro Ferreira foi denunciado nesta segunda-feira (23) por autoria de crime com quatro qualificadoras: motivo torpe, emprego da asfixia, uso de recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio.

No dia anterior ao crime, Álvaro havia sido preso por agredir e ameaçar Danielle, mas foi solto após pagar fiança. Segundo a polícia, ele invadiu a casa da ex-mulher sem chamar atenção e tentou esganá-la.

Conforme o MPE, há elementos no inquérito policial que comprovam episódios de violência praticados pelo médico contra a vítima.

O inquérito não apontou indícios da autoria do crime por parte da então companheira de Álvaro, Marla Cristina Barbosa Santos. Em razão disso, o MPE não ofereceu denúncia contra ela.

Mas o órgão afirmou que se surgir outros elementos de prova, a atual denúncia poderá sofrer acréscimos ou uma nova denúncia poderá ser oferecida.

O MPE está atuando no caso por meio do Promotor de Justiça Rogério Rodrigo Ferreira Mota, que responde atualmente pela 2ª Promotoria de Justiça da Capital.

Veja mais

Médico de Palmas é suspeito de matar a ex-mulher um dia depois de sair da cadeia

Polícia Civil prende médico acusado de matar ex-mulher no Tocantins

Comentários pelo Facebook: