Seet
Sobral – 300×100

PF investiga esquema criminoso em programa habitacional em Araguaína; servidores são demitidos

Redação AF - |
Foto: Leila Mel
Casas eram "vendidas" por R$ 5 mil.

A Polícia Federal está investigando um suposto esquema fraudulento de venda de casas do Programa Federal “Minha Casa Minha Vida”, em Araguaína (TO). A investigação começou após denúncias de pessoas que pagaram para ganhar o imóvel, mas ficaram fora da lista.

Segundo informações, o esquema envolvia servidores da própria Secretaria Municipal de Habitação, que inclusive já foram demitidos pela Prefeitura, entre eles uma assistente social que era responsável por fazer a entrevista com as famílias na área de risco.

O AF Notícias apurou ainda que as casas eram “vendidas” por R$ 5 mil, cada. A quantia era arrecadada em envelopes pela própria assistente social e supostamente repassadas a outros servidores. Cerca de 40 imóveis foram comercializados no esquema.

No início do mês de março, a Prefeitura fez um alerta sobre o golpe e denunciou o caso ao Ministério Público Federal (MPF), que requisitou investigação à Polícia Federal. Um processo administrativo também já teria sido instaurado para investigar o caso.

Apesar dos imóveis terem sido “vendidos”, o negócio não se concretizou devido a exclusão dos compradores da lista de beneficiários logo após o esquema ser descoberto.  Dossiês e arquivos de computadores também teriam desaparecidos da Secretaria de Habitação.

Alguns envolvidos no esquema já prestaram depoimento à PF. Agora, a investigação vai apurar se houve participação ou consentimento de superiores dentro da Secretaria ou da Prefeitura, bem como quem eram os beneficiários dos repasses.

Comentários pelo Facebook: