Direto ao Ponto

Arnaldo Filho

redacao@afnoticias.com.br

Decreto

Cidades vizinhas a Palmas também se curvarão à lei seca de Cinthia Ribeiro, mesmo sem querer

O novo decreto entrou em vigor nesta sexta-feira (15 de maio).

Por Arnaldo Filho 2.414
Comentários (0)

16/05/2020 17h09 - Atualizado há 1 semana
Prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB) decreta lei seca em Palmas

O mais novo decreto da Prefeitura de Palmas nº 1.896, de 15 de maio, instituiu a chamada 'Lei Seca', proibindo o consumo de bebida alcoólica em qualquer estabelecimento comercial, industrial e de serviços, bem como em todo e qualquer local público.

De maneira ainda mais incisiva, a norma proíbe inclusive a comercialização de bebidas alcoólicas em todos e quaisquer estabelecimentos varejistas, atacadistas, distribuidores e fabricantes, tanto para pessoas físicas quanto jurídicas (empresas). O objetivo é reduzir a circulação e aglomeração de pessoas, evitando, assim, a propagação da Covid-19.

EFEITO DOMINÓ

Ainda que sem querer, de maneira proposital ou impensada, essa proibição atinge, em efeito cascata, os comerciantes das cidades vizinhas à capital, como Porto Nacional, Paraíso do Tocantins, Aparecida do Rio Negro, Lajeado, Miracema, Miranorte, Barrolândia e o distrito de Luzimangues, entre outros, que são abastecidas pelos distribuidores sediados na Capital. 

Muitas mercadorias que chegam ao Tocantins, inclusive bebidas alcoólicas, são descarregadas primeiramente na capital e depois redistribuídas às outras cidades. Neste caso, se as grandes empresas e distribuidoras de bebidas de Palmas não podem vender para comércios atacadistas ou varejistas localizados em outras cidades, o comércio regional também se curvará à lei seca da Capital.

ARAGUAÍNA

O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, também decretou a lei seca na cidade dias atrás, mas não impediu a venda para empresas sediadas em outros municípios, desde que o próprio distribuidor faça a entrega lá no estabelecimento do comprador (pessoa jurídica). A exceção evita a paralisação total das empresas que atuam nesse ramo, a fim de evitar demissões e até a falência do negócio. 

CORRIDA AOS MERCADOS

Assim como ocorreu em Araguaína, o anúncio da lei seca em Palmas provocou uma verdadeira corrida aos estabelecimentos comerciais em busca de bebidas alcoólicas, gerando justamente aquilo que a norma pretende coibir, as aglomerações. Se antes do decreto as bebidas estavam estocadas nos depósitos das empresas, agora estão nas despensas das residências. 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.