Direto ao Ponto

Arnaldo Filho

redacao@afnoticias.com.br

Eleições 2022

PSB discute federação partidária com PT e pode fortalecer Paulo Mourão no Tocantins

O PSB do Tocantins é contra a formação de qualquer federação.

Por Arnaldo Filho 736
Comentários (0)

14/12/2021 11h37 - Atualizado há 7 meses
Pré-candidato a governador do Tocantins Paulo Mourão e Lula

O PSB está discutindo uma possível união com o PT por meio de uma federação de partidos, incluindo o PCdoB, e tenta também atrair o ex-governador tucano Geraldo Alckmin para compor chapa com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições de 2022.

Dezoito presidentes de diretórios estaduais manifestaram-se favoravelmente à formação da federação com o petistas em uma reunião com o presidente da sigla, Carlos Siqueira. Votaram contra apenas os representantes do Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e Mato Grosso (que não querem estar ao lado do PT). Já o PSB do Tocantins é contra a formação de qualquer federação.

TOCANTINS

No Tocantins, o PSB está sob a presidência do ex-prefeito de Palmas Carlos Amastha - que deverá disputar uma vaga de deputado federal em 2022. Já o PT lançou candidatura própria ao Governo do Estado com o nome do ex-deputado estadual Paulo Mourão

EM TODOS OS ESTADOS

A reunião com Carlos Siqueira teve caráter consultivo, já que a decisão de se formar federações caberá aos presidentes dos partidos, uma vez que a composição terá caráter nacional e deverá ser seguida em todos os estados. Na costura com o PT, por exemplo, o PSB quer apoio dos petistas nas eleições para os governos de São Paulo (com Márcio França), Rio Grande do Sul (com Beto Albuquerque) e Pernambuco (que definiu que terá candidato próprio, mas não o nome) — SP e PE votaram a favor da federação com o PT.

UNIÃO POR 4 ANOS 

Depois do fim das coligações partidárias para eleições proporcionais, a formação de federações recupera a lógica de alianças partidárias, mas com regras mais estritas: em vez de valer apenas para estados específicos, as federações terão caráter nacional e devem durar pelo menos quatro anos. O partido que sair perderá acesso ao Fundo Partidário e o parlamentar que quiser migrar para um partido de fora estará sujeito às regras de fidelidade partidária.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.