Vítima de Dianópolis

Em poucas horas, peritos do Tocantins identificam cadáver carbonizado só pela arcada dentária

Rotineiramente a identificação é feita por meio de datiloscopia ou pelo reconhecimento direto.

Por Redação 1.247
Comentários (0)

17/07/2019 09h51 - Atualizado há 4 meses
Corpo estava às margens da rodovia TO-040, a seis quilômetros de Dianópolis

Peritos criminais do Instituto Médico Legal (IML) de Palmas identificaram, em apenas cinco horas, um cadáver carbonizado por meio da arcada dentária.

O corpo, identificado como sendo de Igor Rodrigues da Silva, foi encontrado totalmente carbonizado na sexta-feira (12), às margens da rodovia TO-040, a seis quilômetros de Dianópolis, após incêndio no local.

Em menos de 24 horas do acidente, o IML recebeu todo o prontuário odontológico de atendimento na rede pública de saúde da cidade de Dianópolis e iniciou os procedimentos de identificação, sendo este finalizado após 5 horas da entrada dos documentos.

Rotineiramente, os Institutos Médicos Legais realizam identificação de pessoas por meio de datiloscopia ou pelo reconhecimento direto. Entretanto, em se tratando de cadáveres carbonizados, esqueletizados ou em avançado processo de putrefação, não é possível o emprego dessas metodologias. Nesses casos, torna-se necessário o exame Antropológico e Odontolegal para identificar os restos mortais de determinada vítima.

“Enquanto o Perito Odontolegista realiza o exame para estimativa dos dados biotipológicos e das características individualizadoras da arcada dentária, uma equipe multiprofissional do setor de Antropologia Forense do IML busca informações e documentos da vítima com familiares, delegacias, hospitais e clínicas”, destacou a perita oficial odontolegista e diretora do IML, Georgiana Ferreira Ramos.

Documentos

Ainda segundo Georgiana, dentre os documentos solicitados aos familiares está o Prontuário Odontológico da vítima, que normalmente está em posse de clínicas particulares ou da rede pública de saúde.

Após a determinação do sexo, idade, estatura, características ósseas e dentárias peculiares, procede-se ao confronto com a documentação Odontológica (ficha clínica, radiografias e fotografias).

O confronto de elementos característicos da vítima antes da morte e após a morte é então realizado, buscando-se a coincidência de tais elementos, como também a ausência de elementos discordantes, permitindo indicar que aqueles restos mortais pertencem à vítima procurada.

Exames

Além do exame odontoforense de identificação, o IML também realiza exames de Necropsia, Antropologia Forense, Lesão Corporal, Conjunção carnal, Ato Libidinoso, Embriaguez, Exumação, Entrada de Ossada, Abortamento, Pequenas Causas, Avaliação Psicológica, Natimorto, importantes para a análise da ocorrência de crimes que deixam vestígios e/ou para a identificação de seus autores. 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.