Em Araguaína

Enfermeiro e personal trainer são indiciados por falsificação de atestado médico em Araguaína

Os crimes são de falsificação de documento público e uso de documento falso.

Por Redação 1.899
Comentários (0)

14/08/2019 10h30 - Atualizado há 1 semana
O enfermeiro foi indiciado por falsificação de documento

Um enfermeiro de 41 anos foi indiciado por falsificar um atestado com carimbo e assinatura de um médico de Araguaína que sequer sabia que seu nome estava sendo usado de forma indevida.

O atestado foi direcionado uma personal trainer de 32 anos, que também foi indiciada por uso de documento falso.

Segundo o delegado Wilson Oliveira Cabral Júnior, a mulher foi apresentada na delegacia de Polícia Civil em situação de flagrante em 13 de outubro de 2017, onde foi ouvida e autuada pela prática do crime de uso de documento falso.

Na ocasião, a personal tentou justificar sua conduta e negou a autoria do crime, mas o caso foi desvendado durante as investigações.

Os agentes descobriram que o enfermeiro orientou a personal trainer a inventar uma estória para a polícia de que ela teria obtido o atestado com um acadêmico de medicina, informando até detalhes de como ela deveria proceder.

O indiciado [enfermeiro] criou toda uma estória-cobertura para esconder o ilícito por ele praticado", asseverou o delegado.

Wilson Oliveira também esclareceu que a falsificação do atestado apreendido foi comprovada através de exame documentoscópico realizado por peritos criminais do Instituto de Criminalística (IC) de Palmas.

"A contribuição dos peritos oficiais do IC, de Palmas, foi fundamental para que pudéssemos concluir o inquérito policial, uma vez que, por meio do trabalho efetuado por eles, foi possível descobrir que, realmente, se tratava de um documento falso", disse.

O uso de documento falso está previsto no artigo 304 do Código Penal e pode resultar em uma pena de 2 a 6 anos de reclusão e multa.

Já o crime de falsificação de documento público é tipificado no artigo 297 do Código Penal, cuja pena pode chegar a 6 anos de reclusão e multa.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2019 AF Notícias. Todos os direitos reservados.