Caso Danillo Sandes

Farmacêutico contratou PMs por R$ 40 mil para executar advogado Danillo Sandes, diz MPE

Por Redação AF
Comentários (0)

10/11/2017 18h49 - Atualizado há 2 semanas
Márcia Costa // AF Notícias O Ministério Público Estadual ofereceu denúncia contra os quatro suspeitos de matar o advogado Danillo Sandes, em Araguaína, e pediu que eles sejam levados a júri popular. Danillo desapareceu no dia 25 de julho e seu corpo foi encontrado quatro dias depois, às margens da TO 222. O farmacêutico Robson Barbosa da Costa, os militares Rony Macedo Alves Paiva e João Oliveira Santos Júnior e o ex-policial Wanderson Silva de Sousa foram denunciados pelos crimes de homicídio qualificado, associação criminosa, grupo de extermínio e ocultação de cadáver. Conforme a denúncia, Robson arquitetou o crime durante um processo de ajuizamento de inventário dos bens deixados pelo pai de Robson, no valor aproximadamente R$ 7 milhões. Tudo começou após uma discussão entre os herdeiros. Robson, para se beneficiar, teria tentado sonegar bens e valores no processo, mas seu advogado, Danillo Sandes, teria se recusado a agir desta forma e optou por renunciar a caso. Por ficar pendentes “honorários advocatícios”, Danillo entrou com uma medida judicial, e conseguiu autorização para vender uma carreta que estava sendo usada pelo farmacêutico, o que gerava uma boa renda a ele. Sem a carreta, Robson foi obrigado a voltar para o trabalho antigo. Segundo as investigações, o farmacêutico quis vingança e resolveu contratar o pistoleiro e integrante de um grupo de extermínio, Rony Macedo Alves Paiva pelo valor de R$ 40.000,00 e deu 'carta branca' para acionar os demais militares e executar a vítima. O pagamento foi dividido em duas vezes, a segunda parcela seria paga após a realização do serviço. EMBOSCADA  O grupo de extermínio planejou e simulou um inventário com um valor total de R$ 800.000,00, fora os bens imóveis e gado, na região de Filadélfia (TO), e então entrou em contato com o advogado para estar à frente da causa. Wanderson chegou a se dirigir até o escritório da vítima Danillo para apresentar “a causa” ao advogado. No dia 25 de julho, o advogado recebeu uma ligação de Wanderson, onde combinaram que iriam até a cidade de Filadélfia para tratar do assunto. Dentro do veículo, estavam os dois policiais militares, que receberam ordens do pistoleiro Rony Macedo, que mesmo em Marabá, orientou os detalhes da execução. No caminho, o advogado foi assassinado com dois tiros. O corpo foi escondido em uma fazenda, às margens da rodovia. Após o serviço feito, o farmacêutico pagou o restante do valor contratado para o serviço. O farmacêutico Robson, que se encontra preso na Casa de Prisão Provisória de Araguaína, foi denunciado por associação criminosa e posse ilegal de arma de fogo, devido o arsenal de armas encontrado em sua residência. Os policiais militares, Wanderson Silva de Sousa, Rony Macedo Alves Paiva e João Oliveira Santos Júnior, presos em Palmas, foram denunciados pelos crimes de associação criminosa, grupo de extermínio e ocultação de cadáver.

Comentários (0)

Mais Notícias

Norte do Estado

Marido que tentou matar a esposa com golpes de facão é condenado a 8 anos

O caso ocorreu em Santa Fé do Araguaia, norte do Tocantins, no dia 08 de abril do ano passado.

Tocantins

Adolescentes injetam dinheiro falso no comércio e são apreendidos com R$ 2 mil

Os menores de idade ainda estavam com várias peças de roupas adquiridas com o dinheiro falso.

Norte do Estado

Criminosos armados invadem fazenda, mas são capturados durante a fuga pela PM

Os suspeitos, um de 23, outro de 30 e um adolescente de 17 anos, foram detidos no momento em que fugiam.

Violência

Homem é executado a tiros enquanto andava de bicicleta pelas ruas de Araguaína

A polícia afirmou que o homem era usuário de drogas e morreu ainda no local onde foi alvejado pelos disparos.

Em Araguaína

Presos que simularam suicídio ao matar colega de cela são condenados a 20 anos

O crime ocorreu em novembro de 2014. Os condenados ainda tentaram simular que a vítima havia cometido suicídio.

Homicídio

Homem é executado a tiros no meio da rua no setor Planalto em Araguaína

A vítima seria conhecida como ‘Malaia’, mas ainda não teve a identidade confirmada.

Justiça

Homem que furtou dois desodorantes não responderá por crime no Tocantins

Os funcionários do supermercado perceberam a ação e perseguiram o suspeito.

Crime bárbaro

Pai e filho são carbonizados e mãe degolada na própria chácara no Tocantins

A polícia investiga se o caso é um homicídio ou latrocínio. O carro da família também foi queimado.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.