Continua preso

Justiça Militar decreta prisão preventiva de ex-deputado; defesa nega ameaça e resistência à prisão

Está preso no Comando Geral da PM, em Palmas

Por Redação 1.119
Comentários (0)

30/05/2024 09h08 - Atualizado há 1 mês
Aragão no momento em que foi preso, após confusão em bar da capital.

Notícias do Tocantins - O tenente da PMTO, Manoel Aragão da Silva, ex-deputado estadual conhecido como sargento Aragão, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça Militar na última terça-feira (28/5), durante a audiência de custódia.

Segundo a decisão judicial, a conversão do flagrante em prisão preventiva deu-se em razão da necessidade de garantia da ordem pública e manutenção da hierarquia e disciplina militares. 

Conforme a decisão da Justiça Militar, os requisitos legais para a prisão de Aragão estão presentes.

Encontram-se concretamente corroborados os requisitos legais para a decretação da prisão preventiva do acusado, notadamente a garantia da ordem pública e a exigência da manutenção das normas ou princípios de hierarquia e disciplina militares, tendo em vista a reprovabilidade da conduta do acusado, pois consta nos autos que o militar custodiado resistiu as determinações dos militares de serviço, tendo inclusive tentado agredir os mesmos, e ainda, desacatado e ameaçado a seu superior, sendo preciso o uso da força para sua contenção", aponta a decisão.

Durante a audiência, Aragão negou que tenha feito ameaças e resistido a prisão. A defesa dele afirmou que primeiro o ex-deputado foi hostilizado pela dona do estabelecimento. O advogado Bruno Noguti, que atua na defesa de Aragão, disse que está apurando os fatos e avaliando os vídeos para se "manifestar com a veracidade fática."

Aragão foi preso depois de se envolver em uma confusão em um bar e ainda desacatar policiais militares. Ele está preso no Comando Geral da PM, em Palmas.

A confusão aconteceu em um estabelecimento comercial na quadra 1.006 Sul (Arse 102), na noite de segunda-feira (27). Aragão supostamente teria reclamado de uma cerveja quente e começou a discutir com um garçom. Porém, ele nega e diz que a discussão aconteceu depois que a dona do estabelecimento o ameaçou com um pedaço de madeira.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.