Casos de Racismo

Mulheres são indiciadas em três casos de racismo e podem ser condenadas a até 5 anos de prisão

Casos ocorreram nas últimas semanas e foram investigados pela Polícia Civil.

Por Redação 514
Comentários (0)

04/05/2024 08h29 - Atualizado há 2 meses
Casos foram investigados pela 63ª DP de Paraíso

Notícias do Tocantins – A Polícia Civil de Paraíso do Tocantins, realizou nesta semana, um mutirão para a conclusão de casos de crimes de racismo ocorridos na cidade nos últimos dias. Conforme explica o delegado José Lucas Melo, as situações ocorreram em curto espaço de tempo, após um bom período sem conflitos desta natureza na cidade.

Na primeira ação, ocorrida no dia 13 de dezembro do ano passado, uma mulher de 44 anos, iniciou uma discussão em um estabelecimento comercial do setor Pouso Alegre, após seu companheiro ser cobrado por uma dívida feita. Contrariada, a mulher proferiu ofensas racistas e homofóbicas contra a funcionária do local.

No segundo caso, ocorrido no mesmo setor, uma mulher com 28 anos foi até a casa do ex-companheiro, um homem de 55 anos, quando deu início a uma discussão. No embate, além de quebrar alguns objetos, a mulher proferiu ofensas racistas contra a atual companheira do rapaz, uma moça de 22 anos, que sequer estava presente. 

Por fim, o terceiro caso aconteceu em 13 de abril deste ano, no setor Vila Regina, durante uma briga de vizinhos, quando uma mulher de 42 anos passou a ofender uma criança de 11 (filho da outra parte) com falas homofóbicas. A confusão terminou na delegacia.

O delegado destacou que a infração penal pela qual as mulheres foram indiciadas tem pena de até 5 anos de reclusão e está prevista na Lei de Racismo. Conforme decisão do Supremo Tribunal Federal, até que seja criada lei própria, as condutas homofóbicas também receberão aplicação. Também por força de decisão do Supremo, tais crimes não comportam o oferecimento do acordo de não persecução criminal pelo Ministério Público, no que será realizada a denúncia.

Com o alerta, o delegado disse, que espera-se que esses casos cessem no município, sob pena de responsabilização de quem incorrer em tais condutas. “A Polícia Civil está atenta e vigilante no sentido de investigar e promover o indiciamento se assim for o caso, de todas as pessoas que insistem em praticar condutas preconceituosas e homofóbicas em Paraíso e região”, disse. 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.