Em Darcinópolis

Acusado de tentar matar casal por ciúmes ganha liberdade, mas vai a júri popular

Caso teve grande repercussão na cidade de Darcinópolis.

Por Joselita Matos 850
Comentários (0)

18/09/2021 09h35 - Atualizado há 1 mês
Crime ocorreu em novembro de 2020, na cidade de Darcinópolis.

Um acusado dos crimes de tentativa de homicídio e de feminicídio ganhou o direito de responder ao processo em liberdade após passar mais de dez meses na prisão. A decisão é do juiz da 1ª Escrivania Criminal de Wanderlândia, José Carlos Ferreira Machado, proferida na última terça-feira (14/9).

O caso aconteceu em em novembro de 2020, em Darcinópolis, quando Jucenil Silva Pereira, motivado por ciúmes, teria tentado matar o casal com golpes de facão. Apesar do alvará de soltura, o acusado ainda será levado a júri popular por tratar-se de um crime doloso contra a vida.

O advogado criminalista Maurício Araújo, que defende o réu, argumenta que Jucenil teria agido em legítima defesa e pediu que os crimes fossem desclassificados para o delito de lesão corporal, pois ele não teria agido com animus necandi (intenção de matar). Essa tese deve ser apresentada aos jurados no dia do julgamento.

OS FATOS

De acordo com a denúncia do Ministério Público, as vítimas, Emivaldo Guedes e sua mulher, Francisca Elma, estavam bebendo em um bar na cidade de Darcinópolis, quando foram atacados por Jucenil.

O acusado teria atacado primeiramente Emivaldo, com um golpe nas costas e outro golpe no braço. Nesse momento, Francisca teria se armado com uma faca e partido para cima de Jucenil, atingindo-o com alguns golpes. Jucenil ainda teria corrido, mas Francisca foi atrás, e ambos ficaram feridos.

Os três envolvidos na confusão foram socorridos por populares e encaminhados para o hospital. A Polícia Militar foi acionada.

Emivaldo levou 24 pontos nas costas e dois no braço. Já Francisca, ficou 11 dias internada e perdeu dois dedos e a mão está com movimentos restritos. Já o acusado, após atendimento médico, foi capturado em flagrante e sua prisão foi convertida para preventiva (sem prazo definido em lei).

O MOTIVO DO CRIME

Segundo o processo, o crime teria sido motivado por ciúmes. Francisca é casada com Emivaldo, mas passou um mês separada dele e, nesse período, ficou com Jucenil uma vez. Contudo, ela voltou para o marido, mas o acusado ficou inconformado. Jucenil era amigo do casal.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.