Selo IBV

Araguaína é a 1ª cidade do Norte do Brasil a receber selo por causa de luta contra o feminicídio

No mês de março, a prefeitura instalou o monumento do Banco Vermelho na Via Lago.

Por Redação
Comentários (0)

22/04/2024 16h51 - Atualizado há 1 mês
Cerimônia na Câmara de Vereadores

Notícias do Tocantins - O Instituto Banco Vermelho concedeu à cidade de Araguaína o Selo IBV contra o feminicídio, tornando o município o primeiro na região Norte do Brasil a ser contemplado com a honraria.

Uma cerimônia foi realizada nesta segunda-feira (22), na Câmara Municipal de Vereadores, com a participação das presidentes do instituto, Paula Limongi e Andrea Rodrigues, que entregaram o selo em mãos para a secretária especial da Mulher de Araguaína, Ângela Maria Silva, como reconhecimento pelos esforços da prefeitura no combate à violência contra as mulheres. 

No mês de março, a prefeitura instalou o monumento do Banco Vermelho na Via Lago para simbolizar a luta pela proteção do público feminino. “Além deste principal, temos outros bancos pintados de vermelho espalhados pela cidade para que a sociedade reflita sobre o feminicídio e trabalhe em conjunto para a implementação de cada vez mais políticas públicas para as mulheres”, disse.

As presidentes Paula Limongi e Andrea Rodrigues parabenizaram Araguaína pelas ações e pelo pioneirismo na região. 

“Nós, mulheres, temos que ocupar o local que nos cabe e o espaço que nos cabe é aquele que a gente quiser. Fico muito feliz em ver que Araguaína avançou com as políticas públicas para mulheres e, com a determinação da secretária Ângela, conseguiu furar a fila de várias capitais do norte do país”, disse Paula. 

“Não queria que nossa primeira vez aqui fosse por esse motivo triste e revoltante, que é o feminicídio. Mas, apesar dos horrores, viemos entregar o selo IBV, fruto de uma batalha que nasceu no luto, do feminicídio que tirou a vida da minha melhor amiga, que era uma grande mãe e uma excelente trabalhadora”, contou Andrea. 

Sobre o instituto 

O Instituto Banco Vermelho foi fundado pelas pernambucanas Andrea e Paula, que vivenciaram o impacto devastador do feminicídio em suas vidas. Seu principal objetivo é lutar pelo feminicídio zero no Brasil. O IBV representa uma ação de ocupação urbana, que utiliza bancos de praça e outros elementos contendo QR codes que direcionam para canais de apoio e ajuda às mulheres em situação de violência. Essas intervenções têm o propósito de sensibilizar as pessoas que passam por eles, contribuindo assim na prevenção e combate ao feminicídio. 

A historiadora Maria de Jesus de Oliveira, que participa do coletivo Julho das Pretas, de combate ao racismo, misoginia e à violência contra a mulher em Araguaína, acompanhou de perto a entrega do selo e elogiou as iniciativas da prefeitura. 

“Em meio a uma onda crescente de violências contra o sexo feminino, essa parceria com o Instituto Banco Vermelho é exemplo de um avanço mais aprofundado da política local para com as mulheres e com certeza vai entrar para a história do município”, disse Maria de Jesus. 

Eventos em prol da Mulher

A entrega do selo IBV encerrou uma série de ações realizadas pela Secretaria Especial da Mulher durante o final de semana. Entre eles, o 1° Fórum sobre Misoginia e Feminicídio, ministrado pelas diretoras do IBV, Andréa Rodrigues e Paula Limongi, e as palestras "Força Feminina e Representatividade", conduzida pela Dra. Gizella Magalhães, e "Na política, seja autêntica e vença", apresentada pela Dra. Carol Setúbal. Os eventos ocorreram no auditório FACIT II, na última sexta-feira (19) e no auditório da UFNT no sábado (20) e discutiram a misoginia abordando atitudes que denotam aversão, desprezo ou ódio em relação às mulheres, além de falarem sobre a força feminina e a representatividade delas nos espaços de poder. 

Não se cale 

A Guarda Municipal de Araguaína (GMA) está capacitada desde 2022 para lidar com casos de violência o por meio da Rede de Proteção à Mulher. Para denunciar, as vítimas podem contatar a GMA pelo número de emergência 153.

Além disso, está disponível o serviço da Patrulha Maria da Penha, que pode ser acionada ligando para o número 190 da Polícia Militar. Outra opção é entrar em contato com a 3ª Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher pelo telefone (63) 3411-7310.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.