Funcionalismo público

Com salários defasados, motoristas da Prefeitura de Lagoa do Tocantins cobram correção da data-base

Correção deveria ter sido implementada em 1º de março deste ano.

Por Conteúdo AF Notícias 1.359
Comentários (0)

17/06/2024 17h20 - Atualizado há 4 semanas
Reunião dos motoristas na Câmara de Vereadores de Lagoa do Tocantins

Notícias do Tocantins - Os servidores públicos efetivos do pequeno município de Lagoa do Tocantins estão com os salários defasados por falta de reposição das perdas inflacionárias. A correção da data-base deveria ter sido implementada no dia 1º de março deste ano, com base no INPC/IBGE – Índice Nacional de Preços ao Consumidor, cujo percentual acumulado nos 12 meses anteriores foi de 3,4%.

A previsão consta na Lei Municipal 396, de 11 de janeiro de 2023, que instituiu o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Servidores Municipais (PCCR).

A situação tem deixado os servidores revoltados, principalmente os motoristas concursados, que ganham pouco mais de um salário mínimo. Segundo eles, o prefeito Leandro Soares prometeu no ano passado que concederia aumento salarial à categoria, porém, agora alega que o município não tem condições financeiras.

Por outro lado, segundo os servidores, o prefeito teria corrigido o próprio salário e também do seu secretariado.

Atualmente, a remuneração bruta do cargo de motorista categoria D é apenas R$ 1.800,00 – ficando o valor líquido de R$ 1.659,18 após o desconto da contribuição à previdência social.

“Já estamos na metade do ano e nada do prefeito cumprir o que está previsto na lei. Somos a categoria mais mal paga da região e trabalhamos com uma carga horária exaustiva, em péssimas condições. Fazemos viagens sem receber diárias para pagar almoço ou janta. Temos que tirar dinheiro do próprio bolso. Sem contar que quando os carros quebram no meio da estrada ficamos horas esperando socorro sem anda no estômago”, relatou um motorista.

Lagoa do Tocantins fica a 120 km de Palmas. Segundo a categoria, alguns motoristas chegam a fazer até duas ou três viagens à capital por dia.

No dia 16 de maio deste ano, a categoria se reuniu na Câmara de Vereadores para pedir apoio dos parlamentares em prol da correção salarial.

“Estamos correndo riscos nas estradas com carros sucateados, sem condições dignas de trabalho e com salários defasados. Sem essa correção, no próximo ano, vamos receber abaixo do salário mínimo”, lamentou um motorista da prefeitura de Lagoa do Tocantins.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.