Despedida

Comoção marca adeus ao juiz Sérgio Paio: 'um grande ser humano, ético e bem humorado'; veja depoimentos

Ele tinha quase 35 anos de serviços prestados à Justiça tocantinense.

Por Redação 4.323
Comentários (0)

01/02/2024 15h15 - Atualizado há 2 meses
Centenas de pessoas foram se despedir do juiz Sérgio Aparecido Paio

Sob forte comoção, magistrados, autoridades, amigos e familiares compareceram ao Fórum de Araguaína para prestar as últimas homenagens ao juiz Sérgio Aparecido Paio, que atuou por quase 35 anos na magistratura tocantinense. Ele faleceu na madrugada de quarta-feira (31/1), aos 66 anos. O último adeus foi dado em seu sepultamento no cemitério da cidade, Jardim das Paineiras.

Para a presidente do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO), desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, o juiz Sérgio Paio deixa legado por sua conduta ética e retidão na condução da Vara dos Feitos da Fazenda e Registros Públicos da Comarca de Araguaína. Deixa ainda a marca de um ser humano ímpar e bem humorado.

"É uma tristeza muito profunda para o Poder Judiciário amanhecer com a notícia da perda do Sérgio. Iniciamos juntos na magistratura ao tomarmos posse no 1º concurso, e ele era um magistrado íntegro, excepcional, sempre presente na comunidade de Araguaína, com seu lado humano e divertido, trazendo leveza em todas as ocasiões. Assim era o Sérgio, uma pessoa alegre, que deixa o Judiciário mais triste hoje, com este sentimento de um grande vazio, pois agora fica a lacuna da perda irreparável de uma pessoa querida tanto na magistratura, quanto na vida de cada um aqui. Por isso, clamamos a Deus para que traga o consolo a todos os colegas, amigos e a toda a família", disse a presidente do TJTO, desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe.

Na despedida, o amigo e juiz da 3ª Vara Cível, Álvaro Nascimento Cunha, diácono da Igreja Católica, conduziu a oração do Terço da Misericórdia em honra ao companheiro de comarca.

Presenças

Prestaram as condolências à família e amigos, além da desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe; a corregedora-geral da Justiça, desembargadora Maysa Vendramini Rosal; o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO), desembargador João Rigo Guimarães; magistrados da Comarca de Palmas, juiz Allan Martins Ferreira; juiz Nelson Coelho Filho; juiz Gil de Araújo Corrêa; juiz Luiz Zilmar dos Santos Pires; juiz Arióstenis Guimarães Vieira; juiz José Roberto Ferreira Ribeiro; juiz José Carlos Tajra Reis Junior; o diretor do Foro de Araguaína, juiz Fabiano Ribeiro; e os magistrados da Comarca, juiz Herisberto e Silva Furtado Caldas; juíza Wanessa Lorena Martins de Sousa; juíza Cirlene Maria de Assis Santos Oliveira; juiz Francisco Vieira Filho; juiz Deusamar Alves Bezerra; juíza Renata Teresa da Silva Macor; juiz Carlos Roberto de Sousa Dutra; juiz Álvaro do Nascimento Cunha; juiz aposentado Edson Paulo Lins; juiz aposentado da Comarca de Colinas, Rosemilto Oliveira; procuradora de Justiça do Ministério Público do Tocantins (MPE-TO), Ana Paula Catini; o promotor de Justiça Leonardo Gouveia Olhê Blanck; defensor público de Araguaína, Cleiton Martins; e demais representantes do Sistema de Justiça; a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) também se fez presente por meio de vários advogados que renderam as últimas homenagens ao magistrado.

Sérgio Aparecido Paio

Paulista, o magistrado tinha 66 anos, era casado com Sarita Martins Paio, 65 anos e tinha três filhos, a fisioterapeuta Simone, 40 anos, e os advogados Sérgio Júnior, 38 anos e Francini, 37 anos. Deixa ainda dois netos, Pedro Gabriel, 12 anos e Aurora, 5 anos.

Com quase 35 anos de prestação de serviço à Justiça tocantinense, o juiz Sérgio Paio era pioneiro, do primeiro concurso da magistratura do TJTO, de 1989. Era titular da Vara dos Feitos da Fazenda e Registros Públicos da Comarca de Araguaína desde 1999.

Em sua carreira profissional, o magistrado contribuiu ainda como docente em cursos de Direito nos municípios de Araguaína e Colinas.

Depoimentos

"Perdi meu irmão. É um dia muito triste para o Judiciário. Uma perda lamentável! Pioneiro, era um grande magistrado, um amigo, um irmão, de convívio fácil, então a gente lamenta muito, muito. Essa partida ainda prematura, 66 anos, a gente lamenta, chora, mas entende o pedido de Deus, porque Ele está na direção de tudo! Então, apesar de ser um dia muito triste, a gente aceita."

Desembargador João Rigo Guimarães – Presidente do TRE-TO

"Para nós, é um momento de muita tristeza, o Sérgio era um colega muito especial, cooperativo, era o decano aqui da Comarca de Araguaína e tinha um bom coração. Ele gostava de ajudar as pessoas, vai deixar um vazio muito grande. E, particularmente, no meu caso, o Sérgio, quando eu iniciei aqui na Diretoria, quando a gente tinha algumas dúvidas, ele sempre estava ali colaborativo com a sabedoria dele, uma pessoa muito sábia. Vai ficar esse vazio, que nunca iremos conseguir suprir. O Sérgio é uma pessoa muito querida e super importante para nós. Lamentamos muito a sua perda!"

Diretor do Fórum de Araguaína, juiz Fabiano Ribeiro

"Dr. Sérgio Paio era um professor muito sábio e muito humano, que não tem igual. Uma pessoa que ajudava todo mundo. Quando vinha a demorar em um processo, é porque ele estava procurando um meio de solucionar da melhor forma para aquela parte. Ele atendia todo mundo, tanto advogado quanto parte, e gastava o mesmo tempo conversando com todos. Pra se ter uma ideia do quanto ele era querido, teve uma pessoa que estava morando em Imperatriz (MA) e ele negou um mandado de segurança, mas ligou explicando e quando a parte soube de seu problema de saúde, logo se prontificou a doar sangue. Outro fato curioso era um quadro que achei guardado no gabinete e sugeri desfazer dele. Então, ele disse que era muito especial, pois era do primeiro escritório de advocacia dele, por isso, eu o coloquei aqui hoje na despedida dele."

Vera Lucia Rodrigues de Almeida, escrivã que atuou 21 anos ao lado do juiz Sérgio Paio.

"Sempre uma pessoa muito solícita, muito prestativa, exemplo para magistrados, para a advocacia e para o mundo acadêmico também. Sempre citado. Eventualmente um colega advogado, quando está em sala de aula ou quando traz e compartilha alguma informação, alguma experiência, cita o nome do doutor Sérgio Paio com carinho especial, com certo orgulho e elegância, porque não só as decisões dele que eram extremamente didáticas e verdadeiras, mas o lado humano do doutor Sérgio Paio era uma característica marcante. Ele recebia a todos, conversava com todos, não tinha tempo ruim para ele. Sempre muito bem humorado, muito brincalhão e sorridente. Essa é a marca que a gente leva, não só do professor, mas do ser humano Sérgio Paio. A faculdade também sente, porque realmente, eu confesso, estava nos meus planos, enquanto coordenador, de trazer ele de volta para o corpo docente em algum momento. Felizmente, vai ficar na história as boas memórias".

Coordenador do curso de Direito do Centro Universitário Tocantinense Presidente Antônio Carlos (Unitpac), Marcos Reis

"Na nossa vida, entre os advogados, doutor Sérgio Paio era diferenciado. Ele foi professor da primeira turma de Direito aqui de Araguaína. Eu tenho muito carinho por ele, assim como ele tinha um carinho especial pelos seus ex-alunos. Sou muito grato a isso. Então, hoje o sentimento realmente é como se eu estivesse perdendo uma pessoa da família. É um dia triste para o Judiciário e para as advocacias tocantinense e araguainense".

Rubens Araújo da Silva, advogado e ex-aluno do juiz Sérgio Paio, da 1ª turma de Direito de Araguaína da Faculdade Unitapac

 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.